Daily Archives

15/06/2010

Diário da Si

♥ ENTRE O REAL E O VIRTUAL ♥

O que há entre o real e o virtual? Amor… como em todo e qualquer lugar.
O título do post tem vários sentidos e é uma mistura de assuntos, todos baseados na “blogosfera“.
Em primeiro lugar, o nome do post é uma referência a um blog que eu gosto muito, de uma “amiga virtual e real”, a Gi. Virtual porque eu a conheci aqui na blogosfera, e real porque embora não a conheça pessoalmente, ela se transformou numa amiga realmente amiga, com quem eu tenho “contato virtual” além da blogosferarsrsrsrs Difícil entender essas coisas, ?
Ontem após ler um outro blog, também de um amigo virtual e real  rsrsrs, conversando com meu esposo, ele achou graça de me ouvir falando sobre “amigos” que nem se quer conheço pessoalmente! Vale dizer aqui que pessoalmente não significa “conhecer de verdade” e vice versa!!! Ou seja, tem  pessoas que vivem e convivem por anos, e de repente, se surpreendem com seus amigos… e outros, já nem se conhecem tanto ou se vêem com tanta frequência assim, mas “sentem” exatamente da mesma forma… não existem explicações para o amor. E quando eu digo amor, eu digo desse sentimento primordial, que infelizmente as pessoas confundem com outros… As pessoas estranham quando eu digo que se pode amar de diversas maneiras (porque cada um tem um jeito para isso), mas é amor… e se pode amar várias pessoas ao mesmo tempo (de várias formas ou de uma mesma forma…) Aliás, isso é outra coisa que as pessoas adoram “complicar”… Imagina se tivesse que escolher entre quem você ama mais? Pai ou mãe? Um irmão ou outro? Um amigo ou outro? Maior afinidade não significa mais amor. É tão difícil das pessoas entenderem isso!!! Aliás, é tão difícil as pessoas entenderem o amor!!! Nossa!!! Amar é simples assim: eu amo!!!
E não importa mais nada!!! Todo e qualquer outro sentimento pode-se “agregar” ao amor, como o desejo, a paixão, a raiva, a posse, o ciúme… mas nada disso é amor! As pessoas usam outros sentimentos para “justificar” o amor! Amor não precisa de justificativa!!!! Ama-se pelo que o outro é (com qualidades e defeitos) e ponto final!!! Amo porque AMO!!! E o fato de não conhecer alguém “pessoalmente” não significa que não posso amar!!! Quando sua mãe morrer, vai deixar de amá-la?
Se amor dependesse de “presença”, quando fôssemos morar longe da família, deixaríamos de amá-los… e isso não acontece! E não é porque é família apenas, é porque é amor!!! Amor não vê distância, não mede defeitos, não classifica pessoas…
Bem, voltando ao “papo” com marido…rsrssrsrs O post vai ficar grande, hein? rsrsrrsrs
Eu estava falando que alguns amigos eu considero muito, que tenho uma amizade verdadeira, que os “sinto” assim… e ele achou graça… espantado me perguntou: “sente a mesma amizade que a Nelise?” (Nelise é minha primeira amiguinha, quase família, e melhor amiga até hoje, embora “distante” por causa da vida). E eu respondi: “SIM!” E ele balançou a cabeça, como se não entendesse… rsrsrsrs
Ele é desconfiado ao extremo da internet, e diz que eu sou uma eterna “boba” que acredita em papai noel e coelhinho da páscoahe he he Olha, sei que existem pessoas ruins, mas isso não é apenas na internet. Quem é ruim, é aqui e na realidade. Assim como as pessoas boas.
Quando eu comecei a “frequentar” o chat da rede social Flabasquete, ele reclamou um pouco. Dizia que isso era coisa de “adolescente” e que eu era a única “velha” ali… rsrsrsrs Quando marcamos uma reunião online (ou seja, trocamos msn), ele disse que eu estava “maluca”!!!!! Msn é pessoal, mas eu já tinha “amizade” com aquelas pessoas, nos encontrávamos sempre no mesmo “batlocal“… brincávamos, ríamos, conversámos, normal, como amigos fazem… e decidimos transformar a nossa “torcida virtual” em real, e para tal, queríamos conversar só “nós” (um grupo pequeno) e o chat da rede social era aberto! Por isso trocamos msn e marcados um dia e horário para nos “encontrarmos”. Nesse dia, ele ficou comigo no pc, “participou”, mas ainda “desconfiado”. Marcamos de nos encontrarmos no Maracanãzinho (aqui no Rio), num dia de jogo. Ele a princípio relutou, disse que era “perigoso”… que não sabíamos quem eram aquelas pessoas… Eu sabia!!!! kkkkkkkk Elas se “descreveram” da mesma forma que são, assim como eu. Éramos amigos e ainda somos!!! Depois desse primeiro encontro, vieram vários… passamos a ser amigos de verdade. Já almoçamos juntos, já lanchamos, comemoramos aniversários, fomos na casa uns dos outros, viajamos… tudo o que amigos fazem! E eu??? A-M-O esses amigos! Hoje em dia meu marido tb os adora, alguns tem até mais “afinidade” com ele do que comigo, mas é ainda muito “pé atrás” com a internet! E aqui, além desse grupo, além da Gi, eu tenho um carinho especial por N pessoas. E um amigo que já foi motivo de outra postagem, hoje é também motivo desse “livro” aqui!!! kkkkkkkkkkkk
Quer saber mais dele e porque ele cativa as pessoas, só conhecendo o blog e o próprio Lukas, que é um amigo super especial, que eu aprendi a amar com suas qualidades e defeitos.  Sim, amar, não entendo porque o “espanto” quando usamos essa palavra! Justamente porque as pessoas “associam” ela a outras, como já disse aí acima. Não existe nada que necessariamente “tenha que andar junto” com o amor.
Amor é apenas amor!
Essa imagem linda, é do post que me trouxe aqui para escrever isso. O post do amigo que eu amo (sim, eu amo, ele é virtual, mas eu o amo assim mesmo).
Eu tenho um álbum no orkut intitulado “Amigos também dizem EU TE AMO!”
Bem, é isso… Lukas, amigo querido, você sabe que eu te admiro à beça, que eu adoooro a sua “presença” e entendo a sua “ausência” quando necessário, e isso não diminui ou modifica o amor que sinto por você! E pela D.Ida também!!! Amo essa família!!! Grande beijo enorme à vcs!!! Vocês são “virtuais” pela distância, mas “reais” pelos sentimentos!!!