Comportamento, Diário da Si, O Cantinho é Nosso, Reclamações

VOCÊ TAMBÉM TEM PRECONCEITO!

Oi gente linda 🙂

Hoje vou colocar pra fora um assunto engasgadinho aqui, sabe?

Essa geração depois da minha parece que comeu cocô, sério!!! São alienados, mimizentos, coitadinhos… e enchem o saco com isso! Permanecem na adolescência até 30 anos!!! Pelo amor de Deus, estão sem noção nenhuma, de nada na vida! Claro que a gente não pode generalizar, mas é a maioria, viu?

Já tem um tempo que virou moda ser “minoria”. Começa com uma luta, um motivo pra conquistar alguma coisa, e rapidamente, o negócio se alastra como praga, e todo mundo quer tirar vantagem da coisa. Chega a dar vergonha alheia. E aí começa o mimimi pra se fazer de vítima. Não consigo entender porque as pessoas gostam tanto de fazerem o papel de coitadinhas!

Ergam a cabeça, aceitem a vida, lutem por um sonho. Mas parem de “exigir” que os outros façam por vocês. Parem de ficar choramingando de que não tem oportunidade por causa da cor, da escolaridade, do bairro que mora, da roupa que veste… Porra, esse papinho de preconceito e minoria que não tem oportunidade tá enchendo o saco!

Você pode gostar de usar o cabelo como quiser, mas porra, entenda: alguns empregos não vão querer (E NEM PODER) te empregar e ponto! Trabalhei em hospital por anos, e em todos os cargos que tive e setores que passei, haviam exigências e regras a serem cumpridas: com unhas, com cabelos, com roupa e por aí vai… Em alguns momentos a gente tem que tirar joias, maquiagem… e FODA-SE se eu não gosto de tirar a aliança ou ficar sem make! Outros eu tinha que permanecer com o cabelo num coque, e uma touca, e FODA-SE se eu tinha feito escova!  Dava uma raiva… mas era o meu emprego!

No caso da Yasmin, a menina que participou do programa Encontro com Fátima Bernardes, na última segunda-feira, eu vi o bafafá todo na internet, e claro, fui conferir para poder falar sobre o “meu preconceito”. E acabei vendo na reportagem casos de discrimição SIM, mas não com a menina em questão.

Gente, o português dela não era nem de ensino primário. E eu acho bacana ela ter conseguido ter a loja própria, a marca própria, se tornar empreendedora. Porque o fato dela não falar o português corretamente, e ter um linguajar bem periférico, não significa que ela não tenha inteligência. Ela pode ter tino para N coisas na vida, inclusive negócios, e talvez, não tenha tido oportuidade de estudo. Mas daí achar que o dono de um outro estabelecimento, deva acreditar que ela tem essa capacidade, ouvindo-a falar daquele jeito, é outra história. E N-A-D-A tem a ver com a cor da pele ou o cabelo dela! Tem a ver com a impressão que ela causa numa entrevista, falando da forma como ela fala.

Mas me digam com sinceridade, se você fosse o dono ou dona da loja onde a Yasmin foi, e a ouvisse falando como no programa, sendo uma loja que atende público A e B (como ela mesma disse na entrevista), você a contrataria?

Reflitam!

Previous Post Next Post

Posts Relacionados

No Comments

Leave a Reply