Browsing Category

Crianças / Filhos

Comportamento, Crianças / Filhos, Diário da Si, Esportes

MEU BÊZINHO JOGADOR DE BASQUETE

Oi gente linda 🙂

Quem me acompanha lá no instagram (segue lá: @simone_aline) sabe que meu filhote mais novo, Marcelo André, detesta quando eu o chamo assim: de Bê. Recentemente, alguns amiguinhos da escola vieram fazer um trabalho aqui, e ouvi a mãe de um deles o chamando de Bê. Aí falei: “Tá vendo filho, a mãe do seu amigo também o chama de Bê, e ele nem liga. Atende sem cara feia e responde numa boa!” Aí ele me olhou, sorriu e disse: “Mãe, o nome dele é Bernardo!” kkkkkkkk

Ah, tá bom… e daí? Filhos são nossos eternos bebês, crianças, adolescentes no máximo. Porque mesmo quando se tornam adultos, continuam sendo os filhos!

Mas hoje vou falar do meu Bêzinho jogador de basquete. Que ele joga, não é novidade. Teve seu irmão mais velho como ídolo, e claro, acabou decidindo praticar o mesmo esporte!  Parece que foi ontem que jogou pela primeira vez no time do irmão, onde as tias o deixavam treinar e quicar a bola, de tanto que ele já gostava e queria também! Ele era o menorzinho, o xodó do pré-mirim. Vira e mexe dentro da quadra, ele abria os braços e fazia um “aviãozinho”, todo mundo ria. Era uma graça. E ele se sentia jogador também!

Amo ver essas fotos lá do início da “carreira”, ele pequenininho ao lado do irmão mais velho! Claro que meu Bê acabou aprendendo a jogar cedo, e desenvolvendo seu talento também pra coisa! E continua seguindo absolutamente todos os passos do irmão.

Daí que o irmão decidiu que queria fazer peneira esse ano. Peneira  no basquete é igual no futebol: uma “prova”, uma seleção que os times fazem para descobrir novos jogadores nas categorias de base (menores de 18 anos). E ali avaliam as características e habilidades de cada um.

O professor de basquete do time atual do meu Bê… ops, Cecelo – está na iminência de ir para o Vasco da Gama. E já disse que, se realmente for, levaria ele junto.  Mas Cecelo puxou a minha ansiedade. E a primeira peneira que abriu, ele quis logo tentar, para saber exatamente como funciona.

E ontem, lá foi ele para o Fluminense:

Ficou todo bobo porque passou na peneira e irá participar do time. Já até avisou ao treinador, que disse que era para ele ficar no Flu mesmo, porque vai que o Vasco não rola… O Fluminense tem uma escolinha maravilhosa para os times de base, vejo isso desde o pré-mirim.

Mais uma conquista do meu filhotinho mais novo! E a mamãezica está como? Muito feliz por ele também!

Ação Social / Utilidade Pública, Crianças / Filhos, Diversos, Notícia

90 ANOS DO MICKEY

 

Oi gente linda 🙂

No dia 06 desse mês eu recebi esse release, e desde então estou pra publicar e nada… Quem tem acompanhado um pouquinho lá no instagram (se você não segue: @simone_aline), já sabe que tenho andado mega enrolada.

The Walt Disney Company anunciou o lançamento da campanha Share Your Ears, que beneficia a instituição Make-a-Wish. O lançamento ocorreu durante a exibição do especial “Mickey’s 90th Spectacular” na rede de TV norte-americana ABC. Durante a programação a apresentadora Robin Roberts, uma das âncoras do Good Morning America, falou sobre a importância de realizar desejos. A apresentação teve performances de estrelas musicais e tributos comoventes em comemoração aos 90 anos da primeira aparição de Mickey Mouse.

E essa campanha irá doar até U$ 2 milhões para que a Make-A-Wish realize os desejos de crianças com doenças graves! Nada tão gostoso quanto ver sonhos sendo realizados, né?

Pelo terceiro ano consecutivo, a Disney apoiará a Make-A-Wish, ajudando a conseguir doações por meio do convite para que seus fãs “compartilhem suas orelhas” nas redes sociais. E essa campanha vai até amanhã!!!

A Disney vai doar US$ 5 para a Make-A-Wish para cada foto postada que mostre as orelhas do Mickey ou – qualquer outra orelha criativa – no Facebook, Instagram ou no Twitter com a #ShareYourEars. As doações podem atingir o teto de US$ 2 milhões. \o/

“A Make-A-Wish faz um trabalho tão essencial que eu estou muito empolgada em poder fazer parte desta iniciativa e ajudar sonhos de mais crianças a se tornarem realidade”, disse Roberts (a apresentadora) e euzinha, Simone Aline, repito! Porque ajudar nunca sai de moda! E como sempre digo: “O amor é a única coisa que cresce, a medida que se reparte!”

Ao longo da parceria com a Make-A-Wish, que já dura 40 anos, a Disney já ajudou a realizar mais de 130 mil desejos, metade deles nos Estados Unidos. Desde 1980, quando a Disney fez parte do primeiro desejo oficial, a companhia tem colaborado com a Make-A-Wish para fazer com que essas experiências não somente proporcionem um momento especial para uma criança, mas contribuam para que crianças e suas famílias troquem o medo pela confiança, a tristeza pela alegria, a ansiedade pela esperança. Atualmente, mais de 10 mil desejos são realizados pela Disney todos os anos e esse número só tende a crescer.”Estamos empolgados em juntar as forças mais uma vez com a The Walt Disney Company para a campanha Share Your Ears para fazer, de um jeito bem família e bem divertido, uma real diferença na vida de crianças com doenças graves”, disse Holly Thomas, vice-presidente de alianças corporativas da Make-A-Wish America.Jon Stettner, presidente e CEO da Make-A-Wish International e completou: “Somos muito gratos à Disney e a todos os seus fãs em todo o mundo pelo apoio. A generosidade contínua da Disney fortalece globalmente nossa organização e nos permite realizar desejos que podem mudar vidas em mais de 50 países. Estamos muito felizes por estarmos no terceiro ano desta campanha incrível”.

Visite www.ShareYourEars.org para outras informações.

A Make-A-Wish® realiza desejos a crianças com doenças graves. Nós buscamos dar luz e realizar cada desejo possível de uma criança pois acreditamos que os desejos são parte integral da sua jornada de tratamento. Pesquisas demonstram que crianças que tiveram seus desejos atendidos conseguiram se fortalecer física e emocionalmente para litar contra suas doenças. Sediada em Phoenix, Arizona, Make-A-Wish é a maior e mais importante organização de desejos a nível mundial, que atende crianças de mais de 50 países. Com a colaboração de generosos doadores e mais de 40 mil voluntários em todo o mundo, a Make-A-Wish realiza um desejo em algum lugar do planeta a cada 17 minutos aproximadamente. Desde 1980, a entidade tem realizado mais de 450 mil desejos a nível internacional, mais de 30 mil só no último ano. Para mais informações sobre a Make-A-Wish America, acesse www-wish.org e, para mais informações sobre a Make-A-Wish International, acesse worldwish.org.

Faça também sua foto. A minha já está lá no insta, no twitter e no face! 😉

Super beijo!

Artesanato, Comportamento, Crianças / Filhos, Diário da Si, DIY

TRABALHO INFANTIL (OBRIGUEI MEU FILHO E SEUS COLEGUINHAS A FAZEREM)

Passando aqui para compartilhar um pouquinho do meu dia… exausto, por sinal! ha ha ha

Ontem, soube que filhote tinha combinado com os amiguinhos da escola de irem fazer um trabalho de grupo na casa de um deles. E lá fui eu caçar no grupo da escola, as mães dos amiguinhos. Meu filho já havia trazido até o endereço, para onde meu esposo iria levar ele e mais quatro hoje! E, surpresa, quando falei com a mamãe do amiguinho, ela não estava sabendo de nada!!! Exatamente o que eu havia imaginado. Porque crianças combinam entre si, mas só avisam as mães na última hora, né? rsrsrs

E a mãe do amiguinho só chegaria em casa hoje depois das 18h! Bem, daí, eu sugeri que viessem pra cá. O trabalho é para ser entregue amanhã, ou seja, teriam que fazer mesmo!

Combinamos tudo pelo whatsapp, e avisei ao Klaus: “amor, não esqueça que vai trazer Cecelo (filhote) e mais 4!” kkkkk O sexto amiguinho a mãe trouxe depois.

A galerinha almoçou:

almoço-filhote-amigos-trabalho escolar-

Depois, enquanto eu preparava a caixa de papelão que um deles trouxe, pegaram uma bola de basquete, e foram subindo as escadas para o terraço (onde tem uma cesta), dizendo: “Se precisar, só chamar a gente, tia!” rsrsrs

Oi???? Na, nani, nanão!!! Podem descendo que o trabalho é de vocês, não meu! Vou ajudar, mas não vou fazer! Eles desceram um pouco desanimados, mas acabaram se empolgando, claro. Primeira tarefa: pintar as bolas de isopor. E lá foram eles: cagando mãos, mesa, toalha velha… rsrsrs Mas no final, deu tudo certo! E os planetas ficaram lindos!

Aí veio a hora e encapar a caixa, e confesso: eu a outra mamãe que encapamos certinho. Eles até “ajudaram”, medindo, segurando… mas as colagens ficaram por nossa conta. Porque eu detesto trabalho borrado!!! kkkkk

Comprei várias estrelinhas adesivas, e cada um ganhou uma cartela para colocar na caixa. Adesivos são práticos para as crianças manusearem e dão um visual lindo, sempre!

Eles digitaram os nomes dos planetas, e eu imprimi. Eles cortaram e colaram em seus respectivos lugares. Eu e a outra mamãe colocamos o fio de nylon  no alto, e indicamos como cada um colocaria seu planeta. E a farra foi daquelas! Depois foi só esconder os “nós” do nylon com mais estrelinhas, e voilá:

trabalho escolar-sistema solar-jean mermoz

Quando terminaram, aí sim, puderam brincar! rsrs

E eles mesmos ficaram felizes com o resultado do trabalho. Não paravam de repetir: “caramba, ficou lindo, né? Acho que nenhum grupo das meninas vai ser tão bonito quanto o nosso!”  Olha a preocupação deles?! rsrsrsrs

Mas diz pra mim: ficou lindo mesmo, não ficou? Mãezica fica como???? Toda boba também!

Bem, ainda tivemos dois momentos de lanche, que nem consegui fotografar… e só agora consegui terminar de arrumar a bagunça, e a cozinha! ha ha ha Mas valeu a pena! O dia foi recheado de delícias e de muita arte! AMO essa rotina escolar!

Super beijo,

Comportamento, Crianças / Filhos, Datas Comemorativas, Diário da Si, Diversos, Fé e Religião, Festas

Holywins ou Halloween?

Esse vai ser mais um daqueles posts enoooooormes (pra variar) e contraditórios… eu acho! Ou vocês vão achar. Porque sou cristã, nascida, batizada, fiz eucaristia e recebi comunhão no Metodismo. Na vida adulta, me crismei Católica, e sou praticante até hoje. Tenho um relacionamento intimista e profundo com a religiosidade, já estudei Teologia por um tempo…  E culturalmente falando, gosto de conhecer a visão de outras religiões. Mas eu adoro a temática de Halloween, filmes de terror, livros de psicopatia e histórias macabras… rsrsrsrs  Tenho um relacionamento também intimista e profundo com a morte. A considero apenas mais uma etapa. Triste, claro, para quem continua vivo. Mas acredito na vida eterna, e consequentemente, ainda melhor do que essa. Ou seja, acredito no encontro com a paz, numa verdadeira Festa no Céu (ops… pulei da festa americana para a mexicana. Isso só pra dizer que eles tem uma noção de morte bem a minha cara: colorida e cheia de vida! )

Bem, então vamos começar pelo Halloween, comemorado ontem. Aquela festa americana, onde enfeitam as casas, e crianças saem às ruas questionando “Doce ou Travessura?”, fantasiadas. Uma mistura de carnaval com Cosme e Damião brasileiros. he he he Essa é uma data que, assim como o Natal, eu acho que deve ser incrível passar lá fora!

Halloween significa “All hallow’s eve”, palavra que provém do inglês antigo, e que significa “véspera de todos os santos”, comemorado hoje!  Entre essa festa que se iniciou lá com os celtas, o Dia de Todos os Santos e amanhã o Dia dos Mortos, eu descobri na internet uma festa “alternativa” da Igreja Católica: o Holywins! Que quer dizer: A Santidade Vence! 

Falando do Halloween, tem também aquela antiga lenda irlandesa de que a abóbora iluminada seria a cara de um tal Jack,  que acabou no inferno. No folclore da Espanha perdura a lenda de aparições e fantasmas nessas datas.

Segundo o testemunho de algumas pessoas que praticaram o satanismo e depois se converteram ao cristianismo, o Halloween é considerada a festa mais importante para os cultos demoníacos, porque se inicia o novo ano satânico e é como uma espécie de “aniversário do diabo”. *  Credo!

A coincidência cronológica da festa pagã com a festa cristã de Todos os Santos e a dos defuntos, que é o dia seguinte, fizeram com que se mesclasse. Em vez de recordar os bons exemplos dos santos e orar pelos antepassados, enchia-se de medo diante das antigas superstições sobre a morte e os defuntos. Alguns imigrantes irlandeses introduziram Halloween nos Estados Unidos aonde chegou a ser parte do folclore popular. Acrescentaram-lhe diversos elementos pagãos tirados dos diferentes grupos de imigrantes até chegar a incluir a crença em bruxas, fantasmas, duendes, drácula e monstros de toda espécie. Daí propagou-se por todo mundo. *

Em todas estas datas, ritos e lembranças resiste um desejo inconsciente, pagão, de exorcizar o medo à morte, subtraindo a sua angústia. O mito antigo do retorno dos mortos converteu-se hoje em fantasmas ou monstros com efeitos especiais nos filmes de terror. Talvez, por eu não temer a morte e nem me assustar tanto com a perda, eu aprecie todas essas comemorações.  

Hollywood contribuiu à difusão do Halloween com uma série de filmes e séries, que confesso: eu adooooro! São meus filmes preferidos. O Halloween hoje é, sobre tudo, um grande negócio! Máscaras, disfarces, doces, maquiagem e demais artigos necessários são um motor mais que suficiente para que alguns empresários fomentem o consumo do terror.

Eu penso na parte boa de tudo… talvez por isso não me prenda nas tradições ruins, e foque mais na festividade mesmo. Curto o Halloween pelos doces, pela decoração, pelas fantasias. Não acredito que apenas nessa data o mal saia às ruas “disfarçado”. O mal está no nosso dia-a-dia, e temos que aprender a identificá-lo e não deixá-lo entrar em nosso coração e mente. O bem é maior e é capaz de vencer qualquer ação maligna, sempre. Eu creio num Deus maior,  e isso me basta!

Se eu estivesse fora do Brasil, iria apenas ensinar as crianças que a “travessura” tem limite. Não é pra confundir travessura com vandalismo.  Da mesma forma que quando assistimos filmes de terror (que eles também adoooooram, porque puxaram a mãezica deles! rsrsrs), digo que o mal e o demônio existem, não são apenas fantasias de filmes. Mas que temos um Deus maior, que nos livra de todo o mal e nos liberta de armadilhas do inimigo.  Se o filme for muito aterrorizante, de verdade, a oração antes de dormir incluiu que Deus vele nosso sono sem permitir que o mal visto no filme seja capaz de ficar em nossa memória inconsciente. E assim, não há pesadelos que os acorde na madrugada por causa do que assistiram. Dormem como anjos! Aqui no nosso país, professores de inglês e escolas, normalmente organizam uma festinha, sem doces ou travessuras, mas claro, para mostrarem aos alunos essa parte cultural no exterior.

Agora que já falamos do Halloween, vamos falar da festividade de Todos os Santos, onde a tradição católica nos mostra a importância de celebrar os Santos, como modelos da fé, como verdadeiros seguidores de Cristo. E sejamos sinceros, não é exatamente uma “festa”.

Nem mesmo o Dia de Finados a gente festeja algo… porque é uma choradeira só, recheada de lamentações. Uma tristeza profunda invade a maioria das pessoas. Aqui no Brasil, hoje menos que antigamente, segue a tradição de no 02/10, visitar os cemitérios, arrumar os túmulos com novas flores e enfeites, recordar os familiares falecidos e rezar por eles. E aí os familiares sofrem como se o ente querido tivesse falecido de novo, e no outro ano de novo…  Eu já me identifico mais com a festa mexicana nessa data. Alegria de preparar o que os nossos falecidos gostavam de comer, colocar músicas para eles, enfim… relembrar dos bons momentos que tiveram nessa vida ao nosso lado e celebrar junto a eles a vida eterna ao lado do nosso Senhor!

E aí, descobri o Holywins, uma proposta criativa da Diocese de Paris. Os jovens franceses queriam oferecer uma opção de festa cristã que, ao invés das bruxinhas e das fantasias aterrorizantes, propagasse valores de vida eterna, dizendo ao mundo que “a santidade vence” (um trocadilho em inglês, holy wins).  e que há alguns anos está presente no Brasil também, promovida pela Arquidiocese de Porto Alegre/RS.

As crianças podem disfarçar-se de anjos, de seus santos preferidos, ou usar fantasias “do bem”, e preparar pequenas bolsas com doces, presentes, desenhos ou cartões com mensagens e passar de casa em casa, e em lugar dos “doces ou travessuras”, eles presenteiam os lares que visitam, explicando que entregam ao invés de receber, para lembrar a importância de celebrar a todos aqueles que foram como nós deveríamos ser: os Santos, que fazim o bem, sem olhar a quem! Mais que combater a forma como hoje se celebra o  Halloween, que nada tem que ver com os costumes e valores cristãos, querem retomar o sentido original da “Festa de Todos os Santos”.

O que eu achei bem legal foi essa proposta de trocar os elementos negativos:  morte e escuridão, por vida. Terror e medo, por alegria.  Sustos e chantagem, por respeito e entrega. Violência, por paz e amor.

Eu achei a ideia uma gracinha, mas que toda criança A-DO-RA receber um doce, isso é inegável, né? rsrsrs E confesso (post de confissões esse!!! rsrs): adooooro a temática do Halloween também.

Artesanato, Comportamento, Crianças / Filhos, Cursos e Educação, Diário da Si, Diversos, Polêmicos

RANÇO DE PRECONCEITO

Sabem… eu acho que a minha geração era realmente mais preconceituosa, de uma forma geral. As pessoas faziam piadas que magoavam os outros. Mas sinceramente, por outro lado, acho que as gerações mais novas também perderam a noção das coisas. Absolutamente TU-DO é preconceito hoje em dia! Não é a toa que essa nova geração é chamada de “mimizenta”, e sim, alguns também fazem mimimi por isso!!!

A questão é que pra tudo nessa vida, o bom senso é a chave de tudo!

A gente tem que rever conceitos, formas de falar, brincadeiras, enfim, tem que estar aberto aos debates e a ouvir a forma como o outro se sente diante de alguma coisa. Mas muitas vezes o preconceito é colocado na conta de quem, no fundo, não teve preconceito algum. E isso é extremamente irritante!

Tem gente que, não importa o que a gente escreva, fale ou desenhe, sempre vai dizer que existe um preconceito em alguma coisa, uma segunda intenção, ou sei lá o que:

Comentários como esse acima sempre existirão!!! Sinceramente, eu acho que pessoas que enxergam preconceito em absolutamente TUDO, precisam se tratar! Pelo amor de Deus!!! E é desse tipo de coisa que eu quero falar hoje, porque recentemente meu filho passou por uma situação bem “desnecessária” na escola, e sinceramente, um tanto quanto exagerada!

A professora de Artes, vira e mexe, passa algum trabalho de releitura de uma pintura famosa! E claro, sendo releitura, e ela sendo professora de adolescentes do 9º ano, ela os incentiva a serem criativos em suas obras. Diz que  não precisam utilizar a mesma técnica empregada na obra original, que podem (e devem!) misturar outras linguagens artísticas, misturar novas cores, elementos da atualidade, coisas que cada um vivencia… Enfim, deixa claro que o  foco principal da releitura é a criação de algo novo, porém mantendo como base a obra que serviu de inspiração.

Ótimo! E bora soltar a criatividade! Adoro essa parte. Mal de família, pois tenho uma irmã artista plástica, e professora aposentada de Educação Artística. Sempre ajudo filhote nos trabalhos (quando são trabalhos de casa), porque gosto muito de artes e qualquer trabalho manual. Então, ouço as ideias, dou sugestões, procuro exemplos…

E o primeiro trabalho desse tipo, que veio pra casa, foi o Abaporu, pintura a óleo da artista brasileira Tarsila do Amaral, uma das mais valorizadas no mercado mundial das artes:

Acima temos a pintura original, e abaixo várias releituras que eu e filhote buscamos na internet e achamos bem legais:

  

A primeira transformou o homem em mulher, colocou uma sandália de flor, enfeitou o braço com pulseiras. Ficou uma graça. A segunda robotizou o Abaporu e todo o cenário e arrasou no futurismo! A terceira é fã de Romero Britto, que nos dias atuais, todo mundo conhece! Tudo colorido ficou lindo! E por último, temos uma releitura que foi aquela que o filhote mais gostou. Daí, como ele é jogador de basquete… desenhou Abaporu de uniforme do Celtics (time que ele torce), com direito a tênis de cano e boné! O cacto se transformou numa base com a cesta e o sol deu espaço a uma bola de basquete, que o Abaporu estaria encestando! PONTO!!!  Ah, sim a professora adorou! E ficou realmente lindo, pena que não fotografei pra mostrar aqui.

Mas hoje quero mostrar a nova releitura do filhote, que seguiu a única recomendação feita pela professora: transformar a pintura de uma mulher qualquer feita pela artista Anita Malfatti, numa mulher negra!

 

A obra original de Anita, se chama: “Moça com Fita Azul”, e filhote nomeou a dele “Moça Negra com Fita Vermelha”.  Certo de que estava mais uma vez fazendo a coisa certa: alterou a cor da roupa para rosa (que diz ser muito usada pelas meninas), manteve pulseiras e laço para ornamentar (combinando com a cor vermelha), e escreveu na roupa a palavra RANÇO, que hoje em dia é vista nas camisas de várias meninas por aí, e vendem em qualquer esquina, porque são MODA!!! Ranço é a decomposição ou modificação que sofre uma substância gordurosa em contato com o ar, causando um gosto ruim e a um cheiro desagradável, como um mofo. Como gíria, significa nojo ou raiva de algo ou alguém. Comum no dialeto jovem também, e por isso se tornou modinha nas camisas.

Mas… a professora não aceitou o trabalho! Disse que a palavra RANÇO nitidamente foi preconceito do meu filho (branco, loiro e de olhos claros), com a pintura da moça negra do quadro. Ele ainda argumentou sobre a moda, e que claro, não escreveu RANÇO para demonstrar o que ele sente pela negra pintada. Escreveu na camisa dela porque hoje em dia as meninas usam muito camisas com essa palavra, é modinha… e daí achou que a releitura estaria mais “moderninha” também. Foi corroborado pelas amigas negras da sala.

Enfim… nada adianta a gente tentar explicar quando o outro não quer entender. A professora não quis entender, não aceitou, mandou trazer de volta pra casa e fazer alguma coisa que não fosse preconceituosa na camisa!!! Ok, ficou ali uma faixa vermelha, cheia de bolinhas coloridas, para tapar o RANÇO.

Eu achei extremamente louco, sinceramente! Mas, fazer o que…

Não creio muito em “racismo reverso” como na imagem acima, porque acho que o negro ainda “sente na pele” tudo e carrega em si um preconceito inimaginável por nós, privilegiados pela nossa cor. Mas o que está em questão, não é o racismo, é a forma como as vezes julgam o outro, vendo o racismo onde ele não existe, entendem? Me digam vocês, o que acham, de verdade? Exagerado ou não? Eu confesso que tenho RANÇO de quem vê preconceito em tudo… enche o saco, isso sim! Quando eu disse lá no início do texto que tem coisas que é muito mimimi, é de coisas desse tipo que estava falando. Eu não estou falando apenas de brancos e negros. Estou falando no geral. Em todo e qualquer tipo de preconceito. Entendo que o negro sofre as consequências até hoje por algo que aconteceu lá atrás, e que nós, como brancos, muitas vezes não conseguimos enxergar o quão isso ainda os machuca. Mas cutucar uma ferida aberta, também não é uma forma de curá-la. E julgar o outro como sendo preconceituoso e racista, por uma coisa que VOCÊ viu dessa forma, mostra mais o SEU preconceito (muitas vezes não demonstrado, mas ainda incubado no seu inconsciente). É aquele ditado: “Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo.”

Eu apenas queria dizer sobre a atitude da professora, que não aceitou o trabalho acusando de preconceituoso, e nem ao menos o argumento, pois nunca viu nenhuma menina com esse tipo de camisa! Oi??? Onde ela vive???

Vai entender…

Comportamento, Crianças / Filhos, Diário da Si, Diversos, Festas

O CONCURSO DOS SONHOS

Kim RosaCuca estreou no teatro aqui no Rio, dia 19 de Agosto, há um mês atrás!!! E só hoje que eu consegui vir aqui pra falar um pouco disso com vocês.

No dia encontrei com várias amigas blogueiras na peça e na festa. E pela primeira vez meus filhotes quiseram nos acompanhar em alguma coisa assim… acho que se empolgaram para ver Felipe Mariano também:

Vizinho, amigo de longa data, colega de diversos trabalhos, e há alguns anos, MC do nosso #EBSA, Felipe Mariano divide o palco da peça com a Kim! E eles arrasaram, de verdade!

Ela interpreta Valentina, uma menina alegre, sonhadora e muito fã da youtuber Kim Rosacuca. Valentina tem um grande sonho desde pequena. Ela quer ser cantora. Seu irmão, Joaquim (Felipe Mariano), sempre gostou muito de dançar. Os dois cantavam e dançavam juntos por horas. Mas, a medida que foram crescendo, a realidade foi afastando o menino do seu sonho. Eles mudam de escola, fazem novos amigos e um Concurso de Talentos muda completamente suas vidas. Valentina aprende que é preciso seguir em frente, prosseguir e nunca desistir.

No dia da peça, quem me acompanha no instagram, acompanhou pelos stories o desespero do dia que mamãe desapareceu. E toda a sage percorrendo hospitais, casas de amigos, IML e vários estabelecimentos comerciais… foi um dia de muito sufoco e desespero! Mas filhotes (embora também preocupados, porém sem perceber a gravidade do problema) queriam muito ir a peça, e depois a festa.

Bem, e nós fomos. Durante a peça, tive que me ausentar várias vezes, mas filhotes curtiram muito! Mas deu pra entender bem a história, que foi muito bacana. Além de constatar que Kim também é talentosa demais na atuação e no canto, além de Felipe!

Depois da peça, houve uma festa para comemorar a estreia e nada de mamãe ainda. Ela havia saido por volta de 8 da manhã. Já passava de 8 da noite, e nada dela aparecer… Na festa, combinei com Karen e Tiago de levarem os filhotes com Matheus para casa, enquanto partíamos para verificar mais hospitais:


É isso!

SIGA EM FRENTE, PROSSIGA E NUNCA DESISTA!

Comportamento, Crianças / Filhos, Diário da Si

MEU BEBÊ, MEU MENINO, MEU RAPAZ

Ontem filhote mais velho completou 15 anos! :0

15 ANOS! Sabem o que é isso??? São 15 anos minha gente! Caracaaaaaaaa, como o tempo passa rápido. Ele nasceu há 15 anos atrás! Meu Deus! Repetidas vezes eu já falei isso pra mim nesses últimos dias! E isso me assusta e me faz tão, mas tããããão feliz!

Filhos são o melhor presente e o projeto mais delicioso de uma vida! Cada etapa, desde a barriga, é simplesmente a MELHOR FASE DO MUNDO! E desde que eles chegam, a gente passa a ter uma nova vida. A gente passa a se adequar a vida deles, a organizar tudo de acordo com a idade que eles tem: os programas de fim de semana, as viagens, os passeios… Filhos mexem com absolutamente todos os planos. E são prioridade, sem sombra de dúvida. Tudo o que a gente mais planeja é vê-los adultos, vê-los criados,  e ainda assim, a gente não se prepara para esse dia!

Meu filhote está apenas com 15 anos completos, e eu estou desesperada!!! kkkkkkkk Modo de dizer, tá? É uma fase ótima. Adoro adolescentes, e tenho uma facilidade nata para lidar com a idade. Talvez porque não tenha passado há tanto tempo assim pra mim… kkkkk Até parece! Mas eu, sinceramente, acho que as pessoas na minha idade, agem com seus filhos como se não tivessem sido adolescentes. Adolescência é época de tanta coisa… e os meus amigos dessa época, de repente, se transformaram em pais  que esqueceram isso. Foram ótimos alunos na escola, nunca colaram, nunca mataram aula, nunca roubaram uma bala nas Lojas Americanas ou uma caneta na Casa Mattos! Na adolescência não pensavam em beijar, namorar… queriam apenas estudar! Ah,vai… fico chocada com isso! Mentem demais para seus filhos, isso sim! E mentir é feio! A gente ensina tanto isso na infância, pra quando chegarem na adolescência, alguns pais simplesmente fazerem isso direto! Eu hein!

Eu gosto muito dessa fase, sério! A adolescência é um furacão na cabeça, né? A gente começa a ter vergonha de um monte de coisas, passa por N alterações corporais, se apaixona, aff… É tanta cobrança ao mesmo tempo que parece que a gente não vai dar conta. Mas a gente dá… he he he

E hoje eu olho esse meu furacão calmo e penso: “Meu Deus, olha o tamanhão dele!”

 

Parece que foi ontem… Que ele passou meses dentro de mim, sem quase se mexer de tão quietinho que era, e me deixar desesperada por isso!  Que chegou fazendo biquinho, chorando de mansinho, e me dando uma alegria que eu jamais imaginaria que existia! Que aprendeu a falar (mesmo sendo “papai” em pleno Dia das Mães) e fazer gracinhas. Aprendeu a andar, a nadar, a correr… E assim foi o tempo… correndo!

  

Hoje ele está um rapaz! Lindo, cavalheiro, com um bom coração (e como eu me orgulho disso), com sentimentos nobres dentro de si. E a única coisa que eu espero, é que a vida lhe reserve o que de melhor puder!

É a mesma amiguinha nas fotos, desde a infância… Hoje está com 15 anos, uma moça linda também! Dá um orgulho de vê-los assim… tão crescidos!

Eles tem sonhos, tem medos, tem planos… e eu só peço a Deus para que abençoe cada um deles! Porque tudo o que a gente mais deseja é que eles sejam muito, mas muito felizes!