Browsing Category

Diversos

Comportamento, Crianças / Filhos, Datas Comemorativas, Diário da Si, Diversos, Fé e Religião, Festas

Holywins ou Halloween?

Esse vai ser mais um daqueles posts enoooooormes (pra variar) e contraditórios… eu acho! Ou vocês vão achar. Porque sou cristã, nascida, batizada, fiz eucaristia e recebi comunhão no Metodismo. Na vida adulta, me crismei Católica, e sou praticante até hoje. Tenho um relacionamento intimista e profundo com a religiosidade, já estudei Teologia por um tempo…  E culturalmente falando, gosto de conhecer a visão de outras religiões. Mas eu adoro a temática de Halloween, filmes de terror, livros de psicopatia e histórias macabras… rsrsrsrs  Tenho um relacionamento também intimista e profundo com a morte. A considero apenas mais uma etapa. Triste, claro, para quem continua vivo. Mas acredito na vida eterna, e consequentemente, ainda melhor do que essa. Ou seja, acredito no encontro com a paz, numa verdadeira Festa no Céu (ops… pulei da festa americana para a mexicana. Isso só pra dizer que eles tem uma noção de morte bem a minha cara: colorida e cheia de vida! )

Bem, então vamos começar pelo Halloween, comemorado ontem. Aquela festa americana, onde enfeitam as casas, e crianças saem às ruas questionando “Doce ou Travessura?”, fantasiadas. Uma mistura de carnaval com Cosme e Damião brasileiros. he he he Essa é uma data que, assim como o Natal, eu acho que deve ser incrível passar lá fora!

Halloween significa “All hallow’s eve”, palavra que provém do inglês antigo, e que significa “véspera de todos os santos”, comemorado hoje!  Entre essa festa que se iniciou lá com os celtas, o Dia de Todos os Santos e amanhã o Dia dos Mortos, eu descobri na internet uma festa “alternativa” da Igreja Católica: o Holywins! Que quer dizer: A Santidade Vence! 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Falando do Halloween, tem também aquela antiga lenda irlandesa de que a abóbora iluminada seria a cara de um tal Jack,  que acabou no inferno. No folclore da Espanha perdura a lenda de aparições e fantasmas nessas datas.

Segundo o testemunho de algumas pessoas que praticaram o satanismo e depois se converteram ao cristianismo, o Halloween é considerada a festa mais importante para os cultos demoníacos, porque se inicia o novo ano satânico e é como uma espécie de “aniversário do diabo”. *  Credo!

A coincidência cronológica da festa pagã com a festa cristã de Todos os Santos e a dos defuntos, que é o dia seguinte, fizeram com que se mesclasse. Em vez de recordar os bons exemplos dos santos e orar pelos antepassados, enchia-se de medo diante das antigas superstições sobre a morte e os defuntos. Alguns imigrantes irlandeses introduziram Halloween nos Estados Unidos aonde chegou a ser parte do folclore popular. Acrescentaram-lhe diversos elementos pagãos tirados dos diferentes grupos de imigrantes até chegar a incluir a crença em bruxas, fantasmas, duendes, drácula e monstros de toda espécie. Daí propagou-se por todo mundo. *

Em todas estas datas, ritos e lembranças resiste um desejo inconsciente, pagão, de exorcizar o medo à morte, subtraindo a sua angústia. O mito antigo do retorno dos mortos converteu-se hoje em fantasmas ou monstros com efeitos especiais nos filmes de terror. Talvez, por eu não temer a morte e nem me assustar tanto com a perda, eu aprecie todas essas comemorações.  

Hollywood contribuiu à difusão do Halloween com uma série de filmes e séries, que confesso: eu adooooro! São meus filmes preferidos. O Halloween hoje é, sobre tudo, um grande negócio! Máscaras, disfarces, doces, maquiagem e demais artigos necessários são um motor mais que suficiente para que alguns empresários fomentem o consumo do terror.

Eu penso na parte boa de tudo… talvez por isso não me prenda nas tradições ruins, e foque mais na festividade mesmo. Curto o Halloween pelos doces, pela decoração, pelas fantasias. Não acredito que apenas nessa data o mal saia às ruas “disfarçado”. O mal está no nosso dia-a-dia, e temos que aprender a identificá-lo e não deixá-lo entrar em nosso coração e mente. O bem é maior e é capaz de vencer qualquer ação maligna, sempre. Eu creio num Deus maior,  e isso me basta!

Se eu estivesse fora do Brasil, iria apenas ensinar as crianças que a “travessura” tem limite. Não é pra confundir travessura com vandalismo.  Da mesma forma que quando assistimos filmes de terror (que eles também adoooooram, porque puxaram a mãezica deles! rsrsrs), digo que o mal e o demônio existem, não são apenas fantasias de filmes. Mas que temos um Deus maior, que nos livra de todo o mal e nos liberta de armadilhas do inimigo.  Se o filme for muito aterrorizante, de verdade, a oração antes de dormir incluiu que Deus vele nosso sono sem permitir que o mal visto no filme seja capaz de ficar em nossa memória inconsciente. E assim, não há pesadelos que os acorde na madrugada por causa do que assistiram. Dormem como anjos! Aqui no nosso país, professores de inglês e escolas, normalmente organizam uma festinha, sem doces ou travessuras, mas claro, para mostrarem aos alunos essa parte cultural no exterior.

Agora que já falamos do Halloween, vamos falar da festividade de Todos os Santos, onde a tradição católica nos mostra a importância de celebrar os Santos, como modelos da fé, como verdadeiros seguidores de Cristo. E sejamos sinceros, não é exatamente uma “festa”.

Nem mesmo o Dia de Finados a gente festeja algo… porque é uma choradeira só, recheada de lamentações. Uma tristeza profunda invade a maioria das pessoas. Aqui no Brasil, hoje menos que antigamente, segue a tradição de no 02/10, visitar os cemitérios, arrumar os túmulos com novas flores e enfeites, recordar os familiares falecidos e rezar por eles. E aí os familiares sofrem como se o ente querido tivesse falecido de novo, e no outro ano de novo…  Eu já me identifico mais com a festa mexicana nessa data. Alegria de preparar o que os nossos falecidos gostavam de comer, colocar músicas para eles, enfim… relembrar dos bons momentos que tiveram nessa vida ao nosso lado e celebrar junto a eles a vida eterna ao lado do nosso Senhor!

E aí, descobri o Holywins, uma proposta criativa da Diocese de Paris. Os jovens franceses queriam oferecer uma opção de festa cristã que, ao invés das bruxinhas e das fantasias aterrorizantes, propagasse valores de vida eterna, dizendo ao mundo que “a santidade vence” (um trocadilho em inglês, holy wins).  e que há alguns anos está presente no Brasil também, promovida pela Arquidiocese de Porto Alegre/RS.

As crianças podem disfarçar-se de anjos, de seus santos preferidos, ou usar fantasias “do bem”, e preparar pequenas bolsas com doces, presentes, desenhos ou cartões com mensagens e passar de casa em casa, e em lugar dos “doces ou travessuras”, eles presenteiam os lares que visitam, explicando que entregam ao invés de receber, para lembrar a importância de celebrar a todos aqueles que foram como nós deveríamos ser: os Santos, que fazim o bem, sem olhar a quem! Mais que combater a forma como hoje se celebra o  Halloween, que nada tem que ver com os costumes e valores cristãos, querem retomar o sentido original da “Festa de Todos os Santos”.

O que eu achei bem legal foi essa proposta de trocar os elementos negativos:  morte e escuridão, por vida. Terror e medo, por alegria.  Sustos e chantagem, por respeito e entrega. Violência, por paz e amor.

Eu achei a ideia uma gracinha, mas que toda criança A-DO-RA receber um doce, isso é inegável, né? rsrsrs E confesso (post de confissões esse!!! rsrs): adooooro a temática do Halloween também.

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Artesanato, Comportamento, Crianças / Filhos, Cursos e Educação, Diário da Si, Diversos, Polêmicos

RANÇO DE PRECONCEITO

Sabem… eu acho que a minha geração era realmente mais preconceituosa, de uma forma geral. As pessoas faziam piadas que magoavam os outros. Mas sinceramente, por outro lado, acho que as gerações mais novas também perderam a noção das coisas. Absolutamente TU-DO é preconceito hoje em dia! Não é a toa que essa nova geração é chamada de “mimizenta”, e sim, alguns também fazem mimimi por isso!!!

A questão é que pra tudo nessa vida, o bom senso é a chave de tudo!

A gente tem que rever conceitos, formas de falar, brincadeiras, enfim, tem que estar aberto aos debates e a ouvir a forma como o outro se sente diante de alguma coisa. Mas muitas vezes o preconceito é colocado na conta de quem, no fundo, não teve preconceito algum. E isso é extremamente irritante!

Tem gente que, não importa o que a gente escreva, fale ou desenhe, sempre vai dizer que existe um preconceito em alguma coisa, uma segunda intenção, ou sei lá o que:

Comentários como esse acima sempre existirão!!! Sinceramente, eu acho que pessoas que enxergam preconceito em absolutamente TUDO, precisam se tratar! Pelo amor de Deus!!! E é desse tipo de coisa que eu quero falar hoje, porque recentemente meu filho passou por uma situação bem “desnecessária” na escola, e sinceramente, um tanto quanto exagerada!

A professora de Artes, vira e mexe, passa algum trabalho de releitura de uma pintura famosa! E claro, sendo releitura, e ela sendo professora de adolescentes do 9º ano, ela os incentiva a serem criativos em suas obras. Diz que  não precisam utilizar a mesma técnica empregada na obra original, que podem (e devem!) misturar outras linguagens artísticas, misturar novas cores, elementos da atualidade, coisas que cada um vivencia… Enfim, deixa claro que o  foco principal da releitura é a criação de algo novo, porém mantendo como base a obra que serviu de inspiração.

Ótimo! E bora soltar a criatividade! Adoro essa parte. Mal de família, pois tenho uma irmã artista plástica, e professora aposentada de Educação Artística. Sempre ajudo filhote nos trabalhos (quando são trabalhos de casa), porque gosto muito de artes e qualquer trabalho manual. Então, ouço as ideias, dou sugestões, procuro exemplos…

E o primeiro trabalho desse tipo, que veio pra casa, foi o Abaporu, pintura a óleo da artista brasileira Tarsila do Amaral, uma das mais valorizadas no mercado mundial das artes:

Acima temos a pintura original, e abaixo várias releituras que eu e filhote buscamos na internet e achamos bem legais:

  

A primeira transformou o homem em mulher, colocou uma sandália de flor, enfeitou o braço com pulseiras. Ficou uma graça. A segunda robotizou o Abaporu e todo o cenário e arrasou no futurismo! A terceira é fã de Romero Britto, que nos dias atuais, todo mundo conhece! Tudo colorido ficou lindo! E por último, temos uma releitura que foi aquela que o filhote mais gostou. Daí, como ele é jogador de basquete… desenhou Abaporu de uniforme do Celtics (time que ele torce), com direito a tênis de cano e boné! O cacto se transformou numa base com a cesta e o sol deu espaço a uma bola de basquete, que o Abaporu estaria encestando! PONTO!!!  Ah, sim a professora adorou! E ficou realmente lindo, pena que não fotografei pra mostrar aqui.

Mas hoje quero mostrar a nova releitura do filhote, que seguiu a única recomendação feita pela professora: transformar a pintura de uma mulher qualquer feita pela artista Anita Malfatti, numa mulher negra!

 

A obra original de Anita, se chama: “Moça com Fita Azul”, e filhote nomeou a dele “Moça Negra com Fita Vermelha”.  Certo de que estava mais uma vez fazendo a coisa certa: alterou a cor da roupa para rosa (que diz ser muito usada pelas meninas), manteve pulseiras e laço para ornamentar (combinando com a cor vermelha), e escreveu na roupa a palavra RANÇO, que hoje em dia é vista nas camisas de várias meninas por aí, e vendem em qualquer esquina, porque são MODA!!! Ranço é a decomposição ou modificação que sofre uma substância gordurosa em contato com o ar, causando um gosto ruim e a um cheiro desagradável, como um mofo. Como gíria, significa nojo ou raiva de algo ou alguém. Comum no dialeto jovem também, e por isso se tornou modinha nas camisas.

Mas… a professora não aceitou o trabalho! Disse que a palavra RANÇO nitidamente foi preconceito do meu filho (branco, loiro e de olhos claros), com a pintura da moça negra do quadro. Ele ainda argumentou sobre a moda, e que claro, não escreveu RANÇO para demonstrar o que ele sente pela negra pintada. Escreveu na camisa dela porque hoje em dia as meninas usam muito camisas com essa palavra, é modinha… e daí achou que a releitura estaria mais “moderninha” também. Foi corroborado pelas amigas negras da sala.

Enfim… nada adianta a gente tentar explicar quando o outro não quer entender. A professora não quis entender, não aceitou, mandou trazer de volta pra casa e fazer alguma coisa que não fosse preconceituosa na camisa!!! Ok, ficou ali uma faixa vermelha, cheia de bolinhas coloridas, para tapar o RANÇO.

Eu achei extremamente louco, sinceramente! Mas, fazer o que…

Não creio muito em “racismo reverso” como na imagem acima, porque acho que o negro ainda “sente na pele” tudo e carrega em si um preconceito inimaginável por nós, privilegiados pela nossa cor. Mas o que está em questão, não é o racismo, é a forma como as vezes julgam o outro, vendo o racismo onde ele não existe, entendem? Me digam vocês, o que acham, de verdade? Exagerado ou não? Eu confesso que tenho RANÇO de quem vê preconceito em tudo… enche o saco, isso sim! Quando eu disse lá no início do texto que tem coisas que é muito mimimi, é de coisas desse tipo que estava falando. Eu não estou falando apenas de brancos e negros. Estou falando no geral. Em todo e qualquer tipo de preconceito. Entendo que o negro sofre as consequências até hoje por algo que aconteceu lá atrás, e que nós, como brancos, muitas vezes não conseguimos enxergar o quão isso ainda os machuca. Mas cutucar uma ferida aberta, também não é uma forma de curá-la. E julgar o outro como sendo preconceituoso e racista, por uma coisa que VOCÊ viu dessa forma, mostra mais o SEU preconceito (muitas vezes não demonstrado, mas ainda incubado no seu inconsciente). É aquele ditado: “Quando Pedro me fala sobre Paulo, sei mais de Pedro que de Paulo.”

Eu apenas queria dizer sobre a atitude da professora, que não aceitou o trabalho acusando de preconceituoso, e nem ao menos o argumento, pois nunca viu nenhuma menina com esse tipo de camisa! Oi??? Onde ela vive???

Vai entender…

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Diário da Si, Diversos, Política

DOS FILHOS DESTE SOLO, ÉS MÃE GENTIL

Eu não sou de discutir, nem política, nem nada. Não gosto de bater boca, não necessito ter razão, muito menos convencer as pessoas a pensarem da mesma forma que eu. Nunca perdi meu tempo com isso. Cada um responde por si, cada um tem seu próprio jeito de pensar e agir, e cabe a nós, aceitarmos e aprendermos a conviver com tudo e todos, da melhor maneira possível.

Mas se há uma coisa pela qual eu prezo muito, é a justiça! Admiro pessoas justas, e não compactuo com injustiças, sejam de que tipo forem. Gosto do todo, acredito na união da força! E acredito que o bem sempre vence o mal. Bem, isso não quer dizer que devemos tratar o mal com o bem. Até porque, se o mal não for cortado pela raiz, ele se rebela, e aí… aí vocês já sabem também!

Sabem, eu já fui militante de muitas causas. Naquela época em que a gente acredita que pode mudar o mundo no grito, sabem? Ainda lembro das reuniões no bairro do Flamengo, da Une/Ubes, de muitos amigos partidários, que hoje são políticos “de verdade”… Assim entre aspas mesmo, porque de verdade neles, foi algo que ficou lá atrás, nas nossas reuniões de grêmio.  Hoje os vejo na tv, na internet, e penso: “Cadê aquele sonhador que eu conheci, que queria mudar o estado, a cidade, o país???”  Pois é, eles se transformaram exatamente naquilo que tanto repudiávamos na juventude! Mentirosos, ladrões, egoístas… e é tão triste ver isso.

O dinheiro corrompe. O poder corrompe. Mas eu ainda acredito que o amor consegue ser maior que tudo isso!  Bem, por ter sido assim há tanto tempo atrás, acabei me afastando e me enojando tanto de política. Não sou corrompível! Ah, claro, e continuei pobre! rsrsrs

Mas já que política é um assunto, pra mim, não discutível, vamos aproveitar para falar de amor? Porque amar quem pensa diferente da gente é tão difícil quando se tem a política no meio?

Não estamos aqui para aplaudir de pé a queda de ninguém. Não estamos aqui para dizer “bem-feito”! Queremos sim, que tudo seja bem feito em nosso país, isso sim! E deveríamos torcer juntos, não? Pouco importa em quem você votou. Importa quem está no poder, quem conseguiu chegar lá. E é essa pessoa que temos que apoiar, que temos que torcer. E é pelo nosso país e pelo nosso povo que temos que estar juntos. Apenas isso!

Nessas eleições eu li cada barbaridade, que olha viu?! E não estou falando de memes ou gracinhas da internet não. Até porque, essas eu adoro! ha ha ha Estou falando da disseminação de ódio, do prazer em fazê-lo. Que tipo de pessoa você é? Responda para si mesmo…

O caminho é longo, as dificuldades são enormes, mas se cada um fizer a sua parte ao invés de apontar o dedo ou reclamar do outro, será bem mais fácil alcançarmos um objetivo comum. Todos pensamos diferentes, mas uma coisa é certa: todos nós queremos o bem da nação!

Eu falo por mim. Mas e você: o que você espera do país? Reflita!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

9º Encontro Blogueira S.A., Diário da Si, Diversos, Eventos, Notícia

VAMOS CONVERSAR SOBRE NOSSO #EBSA9

Sabe quando a gente precisa de que um dia tenha mais de 24 horas? Era o que eu queria. E eu achando que esse mês seria mais tranquilo.

Em pensar que quando falei num dos últimos posts, que não conseguiria fazer o #VEDO lá no canal, na minha cabeça passava que eu iria conseguir manter a rotina de posts diários. Ledo engano.  Mas do dia primeiro pra cá, cadê o tempo??? Quando eu via, o dia já tinha ido inteirinho, e por mais que eu quisesse, eu já estava desmaiando de sono em cima do teclado.

A casa está uma bagunça só, por todos os cômodos. A rotina com os meninos está intensa e com meus pais também. Mas graças a Deus, tudo fluindo bem… na correria, sem muito tempo de postar em nenhuma rede, mas vamos que vamos, porque a vida real é sempre mais importante que a vida virtual.

Mas nessa época do ano, eu já tenho tudo prontinho do #EBSA do ano seguinte. E dessa vez, ainda não. ha ha ha Ou seja, a correria vai aumentar ainda mais a partir de agora! E eu quero mudar tanta coisa nele… rsrsrs

Mas não sem falar com vocês antes. E vamos começar a falar dessas mudanças amanhã, numa live lá no insta. Se você ainda não me segue, vai lá: @simone_aline

Bem, e eu espero em breve voltar a rotina nas redes.

Super beijo,

 

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Diário da Si, Diversos

SINTONIA

Oi gente linda 🙂

Contei pra vocês que comecei um treinamento de autoconhecimento  e tem sido muito bom “olhar pra dentro”. Sem descuidar de absolutamente nada do que eu preciso dedicar meu tempo e minhas forças.

Filhotes em época de provas, papai ainda tem consultas pós-operatórias, e mamãe segue bem – na medida do possível. E eu sigo bem também, graças a Deus. Mas mesmo eu já sendo o “agente familiar” (aquele que acaba fazendo tudo na família), eu queria melhorar. Porque reclamar é sempre a solução mais fácil. E sim, eu reclamo… sou filha de Deus, né minha gente?! Mas no geral, sou de suportar muuuuuuuuito, muito mesmo.  Mas para eu reclamar, é porque realmente o negócio tá passando dos limites.

E todos temos limites, certo? Mas eu não gosto de limites do mal, e queria me fortalecer com meus limites do bem. Conseguem entender a diferença? É aquela velha história:

Otimistas dizem que o copo está meio cheio. E pessimistas acham que o copo está meio vazio.

Confesso que as vezes a gente nem percebe que está deixando o lado “obscuro da força” falar mais alto. E isso é  muito ruim, para nós mesmos. Então temos que sempre nos vigiar, nos controlar. Palavras são agouros e devemos profetizar o bom e o bem

Eu sempre fui positiva, alto-astral, e sempre preferi olhar as coisas com bons olhos. Mas focar sempre foi problema pra mim. Geminiana, né mores??? Como ensinar uma mulher geminiana a focar em alguma coisa? rsrsrsrs

“Você tem que saber o que realmente deseja… e você tem que estar em sintonia com esse desejo para ser capaz de manifestá-lo com sucesso.” (…) Eu estou amando essa leitura. Assim que você definir sua intenção em relação ao seu objetivo, você definirá o seu caminho.  
Talvez você não saiba como ou quando as coisas se desdobrarão, mas perceba que, ao canalizar a sua energia nessa intenção, você passará a atrair uma nova vida e a viver de uma nova forma.” (A Chave da Abundância)

Encontrar nossa sintonia, e conseguir equilibrar tudo, é difícil. Mas não é impossível. É um treinamento intenso (e delicioso) de autoconhecimento. Mas acreditem: quem ganha mais com isso não são os outros, somos nós mesmos!

É como fazer uma viagem… para um local desconhecido, embora a gente ache que se conhece muito bem já!

Super beijo,

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Bombril para blogs, Comportamento, Diário da Si, Dicas, Diversos, Negócios

SER BLOGUEIRA, GANHAR DINHEIRO OU AMAR O QUE FAZ?

Oi lindonas!!!

Já faz um tempinho que li um artigo no Empreendedor Digital, que me fez refletir para a blogosfera. Porque “ser blogueira”  virou um sonho de muitas meninas. E a maioria delas, de maneira bem distorcida.

O artigo é de Bruno Picinini, que tem como título: “Faça o que você ama… e fique sem saber como pagar as contas!” descreve exatamente um começar errado já! Porque quando a gente decide alguma coisa pra fazer, estudar ou trabalhar, gostando daquilo, o sucesso é certo, e o dinheiro vem! Porque tudo o que a gente faz com amor, rende frutos, lógico! É uma ordem inquestionável: plantar, cuidar e colher! Mas isso não significa que essa ordem será exatamente na mesma proporção. Por exemplo: o tempo de plantar, é rápido. O tempo de cuidar, é eterno. E o tempo de colher, é numa época certa. Sempre assim!

Não adianta pensar que é só plantar e regar um pouquinho para colher. Ou que quando se colhe, não precisa mais plantar e cuidar de nada. Toda colheita acaba! E essas são as partes que ninguém explica ou explicita na blogosfera. Não de uma forma tão clara, a ponto do entendimento ser mais amplo.

A fórmula pode funcionar (aliás, o amor como base sempre funciona, em qualquer situação). A paixão é algo que nos leva além, nos faz querer mais, nos faz arriscar. Mas essa fórmula que parece simples, pode não funcionar tão rápido quanto se espera, e é preciso entendimento para não se sentir prejudicada depois.

“Uma prova disso é olhar a quantidade de pessoas que já ouviram esse conselho, o consideram verdade absoluta e estão até hoje tentando achar esse trabalho mágico que a gente ama fazer e dá dinheiro.”

O que devemos ter consciência é que esse trabalho dos sonhos só vai existir se for árduo, intenso e contínuo! Não basta amar o que faz. É preciso batalhar muito, muito mesmo, para que esse amor pelo trabalho se transforme em dinheiro para pagar as contas no final do mês. Não é realmente tão fácil quanto parece.

Assim como o Bruno, autor do artigo que me fez refletir e escrever sobre o tema aqui, eu não estou dizendo que não existe esse trabalhar com amor e ganhar por isso. Sim, existe! Mas olha… é intenso! Demora até conseguir colher os frutos. Porque receber mimos é bom, experimentar produtos também. Mas nada disso paga contas. E essas sim, mais cedo ou mais tarde, começam a chegar! Ou seja: tem que se trabalhar muito para poder pagá-las, fazendo aquilo que se ama!  ♥ 

Porque fazer de graça, é serviço voluntário. Eu por exemplo, adoro fazer também! Mas preciso de dinheiro para pagar todo o restante, e é  aí que está o tal segredo: “se existe algo que você goste de fazer (como blogar), faça isso e tente transformar isso em um negócio.” Essa será a parte difícil. Não faltam blogs bacanas por aí. Encontre seu diferencial, e trabalhe mesmo em cima dele. Encontre alguma coisa que só você faça, e faça mais e mais… até se tornar referência! Até que outras pessoas se inspirem no que você faz! Isso é motivador demais. Deixar rastros, juntas forças, agregar valores, e continuar trabalhando… sempre!

Pouco a pouco, com feedbacks do mundo real, todo mundo vai se achando. Bruno recomenda que as pessoas tentem encaixar seus “sonhos” nos três círculos de convergência:

O primeiro círculo é para as coisas que você realmente gosta de fazer, o círculo da “paixão”. As coisas que você gosta de fazer ajudam – e muito – na hora de criar um negócio, por causa da vontade e energia que você vai colocar nisso.

O segundo círculo é o da habilidade. Você pode gostar muito de uma coisa, mas isso não significa necessariamente que você é bom nela. Muitas pessoas gostam de jogar futebol, mas isso não significa que elas são boas nisso. Muitas querem ser blogueiras, mas sem um português ao menos beeeeeeem razoável, fica difícil. Ou querem virar a próxima webcelebridade do youtube, mas tem vergonha de começar a gravar vídeos. Ora bolas, primeiro somos nós mesmas que temos que saber o que queremos, além de ter consciência daquilo que levamos jeito. Porque sem jeito pra coisa, fica difícil de tornar isso rentável. Será só hobby mesmo.

O terceiro, que é o círculo mais importante, é o círculo da demanda. Isso é o que você gosta de fazer e isso é no que você é bom. Existe essa demanda no mercado? Existem pessoas que querem saber mais desse conteúdo? E principalmente: existem pessoas que lhe pagariam para que você falasse sobre esse assunto? Se não existe, você terá dificuldade em trabalhar com isso.

Eu recomendo que você seja você. Não tente fazer do mesmo jeito que outra pessoa faz. Faça do seu jeito. Coloque mais de você num texto, num vídeo… abra seu coração de verdade! E busque sempre melhorar.

Nesses três círculos, somente o terceiro é obrigatório para se ganhar dinheiro. Se você quiser fazer algo por hobby, não tem problema. Eu por exemplo, gosto de fazer artesanato, de dançar, de cuidar de animais e pessoas… mas decidi que iria trabalhar com o blog. E a luta sempre foi intensa para isso.

Não adianta você gostar muito do que faz, não adianta você ser muito bom naquilo, se não houverem pessoas dispostas a pagar pelo SEU conteúdo e pelo o que você pode entregar de valor.

Essa é a dica: Cuidado com o conselho de “Faça o que você ama”! Em especial se você quiser transformar umm hobby em trabalho. Dá pra ser blogueira, amando o que faz e ainda ganhar dinheiro com isso? Sim, dá! Mas isso vai depender de você. Se você dedicar seu tempo para reparar e falar mais do trabalho do outro… vai perder seu precioso tempo, enquanto a outra pessoa estará trabalhando. Consequentemente, ela vai ganhar dinheiro, e você não!!!

Trabalhe, trabalhe duro, e trabalhe mais… Preocupe-se com o seu trabalho, fale do seu trabalho, mostre o seu trabalho. NINGUÉM, exceto você, pode fazer o SEU trabalho valer a pena e render dinheiro!!!

E vocês, já conseguem também um dim dim com seus blogs? O que mais sentem dificuldade na hora de negociar um trabalho? Que resistência encontram nessa vida de blogueira?

Bjks!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Diário da Si, Diversos

REOLHAR A VIDA

Que delícia que está sendo essa semana… podendo sentar um pouquinho para escrever aqui. Ontem eu contei sobre o dia que minha mãe desapareceu. Ainda não tinha tido tempo de contar isso no blog. Só quem me acompanha nas outras redes sociais que acompanhou todo o desespero daquele dia!

Mamãe está passando por uma crise de depressão. Ela já teve uma época assim, há alguns anos atrás. Porém de forma bem mais branda, e que passou bem mais rápido. Dessa vez ela realmente ficou “arriada”. Ainda está pra baixo, e um dia ou outro, tem um sopro de ânimo.

Mamãe sempre foi uma pessoa difícil de lidar:  dona da razão, mandona, brigona… Sempre foi de dar a última palavra, de não perder discussão, de falar mais alto pra ganhar no grito… E eu jurava que quando ela tivesse mais idade, que ela ficaria ainda mais difícil do que o que sempre foi!

Ledo engano, graças a Deus!

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Simone Aline e Marcelo André Chagas, pessoas sorrindo

Hoje, aos 79 anos, mamãe está uma vovózinha fofa. Tirando a tristeza, claro! Mas ela está super de boa. Teimosa, é verdade. Mas melhorou muuuuito o temperamento, muito mesmo! Reolho ela diariamente, e apenas retribuo tudo o que ela sempre fez por mim, a vida toda! Mas confesso: que bom que ela ficou mais tranquila com a idade! Minha linda

E se a gente parasse para Reolhar a Vida?

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva da minha guru Elaine Gaspareto. Caraca, ela começou no primeiro dia do ano, e eu só fui ver isso agora… Como estou feliz de poder, aos pouquinhos, reolhar os blogs amigos, ler pessoas queridas, e escrever aqui… apenas pra falar da vida, conversar!

Vem participar também! Super beijo!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥