Browsing Category

Polêmicos

Beleza e Saúde, Comportamento, Corpo / Pele, Diário da Si, Diversos, Polêmicos

MEU MARIDO ME ROUBANDO DENTRO DE CASA!!!

#OiGente 😀

Hoje o assunto é polêmico: o cara-de-pau do meu marido me rouba dentro da nossa própria casa!!! CUIDADO!!! Pois vocês podem passar pela mesma situação. Por isso decidi alertar vocês com esse vídeo:

ha ha ha

Vira e mexe vejo um produto acabando… rsrsrs Quem foi???

Esses meus rapazes, vou te contar, viu…

#ficaadica para as esposas, namoridas, mães… rsrsrs

Bjks!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Blogs Parceiros, Bombril para blogs, Dicas, Diversos, Negócios, O Blog, Polêmicos

VIDA DE BLOGUEIRA: OS NÚMEROS SÃO IMPORTANTES?

#OiGente 😀

Bora falar de um assunto delicado por aqui… os benditos (e malditos) números que as blogueiras querem que as empresas esqueçam!

Eu tenho blog desde 2009. Não esse… mas meu relacionamento é antigo por aqui… rsrsrs Em 2011 me vi dentro de um mundo novo, quando fui no meu primeiro encontrinho. E de lá pra cá tenho aprendido muito. E depois desse bom tempo blogando, em especial quando a gente adentra ao mundo dos blogs de moda e beleza, a gente percebe que pode unir o amor pela escrita ao – fundamental – dinheiro. E enfim, percebemos que sim, podemos trabalhar com nossos respectivos blogs (ou qualquer outro canal). E por todos esses anos eu venho observando o comportamente das blogueiras. Analisando perfis, marcas, blogs, conhecendo novas ferramentas. Confesso que pra quem ama palavras, é confuso lidar com números.

Bem, desde sempre eu acredito muito que #JuntasSomosMelhores, não apenas no mundo dos blogs, mas na vida mesmo. Uma mão lava a outra, e o mundo sempre dá voltas. E assim como em qualquer outro trabalho, a gente tem que se mostrar um profissional com seriedade e comprometimento.  Vejo muitas blogueiras hoje reclamando de  outras, de amizade x falsidade, de verdade x mentira, ensinando o que ainda nem aprenderam… enfim…. as vezes nem fazem por mal, mas complica quem sabe fazer! Sim, eu ganho dim dim com meus canais, em especial o blog. Um publi ali, outro acolá… vendo espaços publicitários, não minha opinião! Mas eu vendo e provo o que vendo através dos números. Não é só dizer pra marca: eu tenho tantos acessos, eu sei fazer encontrinho, eu faço ótimos vídeos, então, anuncia comigo?! O TRABALHO DE UMA BLOGUEIRA NÃO É SÓ ISSO!!! Tenho visto blogueiras tão desesperadas para se mostrarem profissionais, que acabam colocando o carro na frente dos bois. E só depois de um tempo é que percebem que afundaram a publicidade que poderia ser satisfatória para ambos os lados (blogueira e empresa),  e desvalirozaram o próprio trabalho e das demais blogueiras! Ou seja, vendem algo falso: a marca se decepciona, a blogueira perde futuros rendimentos, e poucas sã as outras blogueiras que percebem que as tais “dicas infalíveis” não existem. Porque ter um blog de sucesso não é uma receita de bolo!!! Não existe NA-DA que você faça que possa de trazer sucesso, reconhecimento e “VALOR” (sim, com sentido ambíguo), sem ser exatamente o seu trabalho! Árduo, constante, e com números expressivos, seja em que canal de mídia for!

Quer saber como andam os seus? Acha o Analytics complicado? Tem outras ferramentas onde você pode pesquisar seu acesso… e mais ainda: pode ver o acesso de todo mundo! Pois é… tanta blogueira por aí vendendo o acesso que não tem! Isso é triste, mostra apenas o despreparo. Pegue bons exemplos pra você!!!  Veja as blogueiras que TRABALHAM com seus blogs, e preste atenção na forma como elas trabalham. Não imite, mas busque observar esse trabalho. Aprenda a mexer onde não sabe, policie seu português, busque ajuda, pergunte… e tente sempre melhorar. Mas acima de tudo: SEJA VERDADEIRO, SEMPRE!

Quer conhecer ferramentas para saber se os seus números (e #dazamigas todas!!! rsrsrs) estão batendo com o que dizem por aí? Aperta o play então:

Sites citados no vídeo (além do seu analytics, claro!):

www.siteworthtraffic.com

www.trafficestimate.com

www.alexa.com (esse esqueci de colocar no vídeo! rs #sorry)

Bjks!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Diário da Si, Diversos, Negócios, Polêmicos

A ARTE DE TRANSFORMAR A TL NUM CHAT

#OiGente 🙂

Ontem eu publiquei uma opinião pessoal, simples, direta e pequenina, sobre uma determinada marca de cosméticos, com a qual peguei uma implicância enorme por causa do “treinamento” de suas consultoras: a Mary Kay!

Não falei sobre a qualidade dos produtos (que é inegável, eu sei), não falei do preço dos produtos (que eu, como mão-de-vaca assumida que sou, acho salgado SIM!), e muito menos insultei as profissionais felizes e realizadas na empresa!

E expressar publicamente na MINHA timeline a MINHA opinião, rendeu mais de 90 comentários… he he he Adooooooro! Aliás, hoje mesmo pela manhã eu disse que a arte de transformar a TL em chat eu domino! E sim… adoro fazer isso! Tanto que virou o nome do post de hoje!!! Porque tenho esse “dom”! rsrsrs

youpix

Confesso que é bem legal apenas escrever algo e acompanhar depois os comentários:

não acredito

tumblr_m7404jKxl41rq1pyno1_500_large

Sem falar que também tem aquilo de apenas dizer alguma coisa… boba até… e acertar alvos que a gente nem imagina??? ha ha ha

tumblr_ldco6wEedM1qbkfsro1_500

Nessas horas a gente vê que tem gente que é do bem… se expressa numa boa, relata uma experiência, argumenta seu ponto de vista. Mas outras… kkkkk Se pudessem entrariam pela minha tela e viriam direto no meu pescoço!!! Essas eu diria que estão no ponto exato da “lavagem cerebral”!!! Ops… esse foi outro alvo atingido que eu nem imaginava… e completamente deturpado!!! Até porque meu desabafo não foi religioso, nem ao menos citei alguma denominação religiosa no post… Nem mesmo falei mal dos produtos da marca… mas sim, da forma como ensinam as consultoras a pensar e agir! 😉 Oi?

serio

As vezes a gente escreve uma coisa, e sente que algumas pessoas se magoaram, não porque levaram para o lado pessoal, mas porque no fundo, a gente acabou falando de algo em que elas acreditam. Mas essas poucas sensatas a gente chega a não acreditar que vendem Mary Kay!!! kkkkkk Porque de 10 consultoras, 10 são malas! E pelos comentários do post a gente percebe que quase todo mundo pensa assim, conhece uma assim!!! Um caso ou outro se salvam… mas vou te dizer, é difícil viu, são raridades mesmo!

Daí a gente acaba também recebendo aquele pessoal que defende suas “causas” (ou seu blazer vermelho) com unhas e dentes.  E vou te contar: em casos graves assim, nem adianta a gente explicar!!!

cansa

Aliás porque o blazer não é rosa???  Tem mais a ver com a marca, né? rsrsrsrs

Eu acho bem bacana discussões assim, educadas! Debates apenas, onde cada um expõe seu modo de pensar, e pode discordar do outro, com educação e expondo seus pontos de vista também!  Mas confesso, é difícil acreditar que Mary Kay  NÃO é pirâmide e que não ensinam suas consultoras a serem chatas pra kraleo!!!

Ô gente pra encher o saco até você comprar alguma coisa… e até fazer sua sessão de beleza ‘de graça’… e depois até você se tornar também uma consultora… e enfim, comer, beber e respirar Mary Kay!!! PQP!!!

risada

Chega a ser cômico, mas enche realmente o saco!!! E pela maioria dos comentários deixados, deu para ter a absoluta certeza que não sou apenas eu que penso assim… Elas são CHATAS SIM! INSISTENTES SIM! E ACHAM QUE MARY KAY É TUDO NESSA VIDA!!! Meu Deus!!!

Olha que eu gosto de rosa, hein???? O desejado carro vira e mexe aparece aqui na minha rua…. com placa lá de Barueri… e sim, é lindo como na foto:

carro rosa

Mas vou te dizer: compensa virar uma mala sem alça por ele? Eu não me importo muito com dinheiro mesmo… compro uma bicicleta rosa e fico feliz do mesmo jeito. Aliás, deixa eu te dizer: eu SOU feliz com o que sou e com o que tenho… mesmo nem tudo sendo rosa!!! kkkkkk Mesmo vivendo vira e mexe no aperto… uma coisa eu sei: EU NÃO SOU UMA MALA MK!!! kkkkkkkk E isso já me faz feliz pra kct 😀 #reflitam

Pra quem gosta de brigar nas redes sociais, ou ao vivo e a cores… Lamento dizer: eu não!!! kkkkkkk

se é pra brigar

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Diário da Si, Dicas, Diversos, O Blog, Polêmicos

SABER O QUE FAZER, FAZ TODA A DIFERENÇA!

#OiGente 🙂

Desde pequena eu tenho mania de colecionar textos… Quando criança eu os recortava do jornal que papai lia. Depois, na adolescência, vieram as revistas. E já na vida adulta, através do computador, vira e mexe copio textos e os guardo numa pasta do pc. Daí como hoje é sexta-feira, e estou preparando o vídeo que vai ao ar mais tarde (dependendo da hora que terminar a edição e se o YT colaborar, claro!), achei legal compartilhar com vocês! Porque a gente pode transportar o texto para qualquer área profissional da vida, inclusive #vidadeblogueira. Porque vou te contar… o que tem de gente “espertinha” por aí, oferecendo envio de produto de R$ 10,00 como se fosse uma super chance no mercado!!! Aff… Eu mesma já caí nesse ‘conto da oportunidade’ algumas vezes! #FICAADICA: empresa envia produtos para N blogueiras, sem disputa nem nada, e muitas delas, sequer agradecem com uma fotinho! 😉 Trabalhar é isso! Cabe a você, blogueira, distinguir o que você deve fazer (ou quando e por quê vai colocar foto ou fazer resenha de graça!). O que não dá é ser feito de trouxa, achando o maior barato receber apenas mimos, enquanto alguém recebe dinheiro por você! 😉 Sim, toda blogueira faz resenhas em seus blogs, quando acha relevante falar de um produto (recebido ou comprado), compartilhar um achado ou coisas do tipo. Resenha não é uma obrigação só porque você recebeu um produto!!! Pior ainda, resenha “positiva” e cheia de “regras” (tem que seguir, compartilhar, colocar banner e etc, etc, etc).

Bem, segue abaixo um textinho bem reflexivo procêis! #penseblogueira (lembrei do #penseblog agora). Doida pra chegarem os workshops. 😉

“Conta-se que em uma imensa fábrica nos EUA, funcionando o tempo todo por 24 horas ininterruptas, plena de mecanismos sofisticados, máquinas avançadas e equipamentos hidráulicos de última geração, ocorreu uma pane desconhecida. De pronto, sem qualquer aviso, todo o sistema ficou paralisado. Ora, cada minuto era precioso, tendo em vista a perda acelerada de dólares que a parada causava. A engenharia de manutenção e o suporte técnico foram imediatamente chamados, os especialistas examinaram todas a estruturas possíveis, os relatórios informatizados e as planilhas de operação foram vasculhados e nada. O defeito não era localizado.

Passa-se um dia, dois e, no terceiro, com a direção já desesperada, prefere-se convocar dois técnicos do Japão, que, um dia após a chegada e a inspeção, já haviam desistido. No sexto dia, tarde da noite, reúne-se a desanimada diretoria, à beira do colapso criativo e próxima de buscar soluções esotéricas para sanar o imenso prejuízo acumulado. Num determinado momento, um dos diretores diz: “Lembrei-me de uma coisa! Há um velho encanador que trabalha há mais de 50 anos nesta cidade. Quem sabe, como recurso extremo, ele nos ajude”. Sem alternativa, chamam o antigo profissional que, com sua maleta de ferro já desgastada, caminha silencioso por toda a fábrica e, de repente, perto da área central, pára, abaixa-se, coloca o ouvido no piso e dá um leve sorriso. Tira, então, da maleta, um martelo de borracha e, com ele, dá uma pancada no chão. Tudo volta a funcionar. Júbilo, alegrias, vivas.
O gerente financeiro, depois de abraçar efusivamente o encanador, pergunta pelo custo do serviço. Ele responde que são mil dólares. O gerente, atordoado, retruca: “Mil dólares por uma marteladinha? Não dá, não vão aceitar. Faça, por favor, uma nota fiscal detalhando todo o seu trabalho aqui”. O velhinho não se incomoda: preenche o documento e entrega ao gerente, que lê a discriminação:
a) dar a marteladinha, 1 dólar;
b) saber onde dar a marteladinha, 999 dólares” *

trouxa

Quem espera trabalhar com o blog realmente, tem que ficar alerta para essas “oportunidades”, que são na verdade propostas indecentes, de pessoas que estão faturando dim dim ao invés de você! 😉

Bjks!

* Texto daqui!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Consultório Virtual, Dicas, Diversos, Pergunta: que eu respondo!, Polêmicos

♥ QUAL A SUA DÚVIDA? ♥

Oi gente?! =)
Posts mega atrasados por aqui… rsrs
Essa semana teve aniversário de filhote e muito trabalho, muito mesmo, graças a Deus!
O vídeo que era pra sair na quarta… estou cortando desde terça!!! kkkkkkkk
Gente, eu falo tanto quanto escrevo… rsrsrs
“Pergunta, que eu respondo!” dessa semana ficou com quase 50 minutos!!! Meus Deus!!! Ninguém merece um vídeo tão longo assim… Reduzi, reduzi, tirei aqui, tirei ali… esses dias todos, os horários que dava pra sentar e editar mais um pouquinho, era o que eu fazia. E só consegui terminar hoje de manhã!!! #sorry
Então, se alguém tiver alguma dúvida, só perguntar que eu explico, tá? rsrs
Eu me empolguei esses dias e espero que até domingo ainda saiam mais dois vídeos, de duas tags que me marcaram! 😉 
As perguntinhas dessa semana foram:
Mayara Queiroz (Vitrine da May), que perguntou como está minha vida de blogueira após o 4º #EBSA
Acreditam que eu falei a história completa do #EBSA pra depois responder a pergunta??? Lóóógico que cortei isso…  
Bem, a segunda perguntinha veio da fofa da Esther Gouvêa Campos (Diário da Té), perguntando se eu achava que existia bullying entre os adultos. Claro que sim, Tééééé!!! Acho que entre os adultos é ainda pior, porque é feito na maldade, para magoar de verdade… é um “cutucar a ferida” intencionalmente. Crianças ainda estão aprendendo, tem a inocência típica da idade. Muitas vezes discriminam por razões bem diferentes dos adultos 🙁 Aff… foram mais de 12 minutos só falando sobre o bullying!!! 
Pode isso, produção??? 
Claro que não! rs
Me senti a psicóloga!!! O bullying seria comigo depois de falar tanto!!! kkkk Cortado também, claro!
Mas a verdade é que desde pequenos até velhos, as pessoas “consciente ou inconscientemente” cometem bullying sim… rs De forma “sadia”, lógico!!! Mas algumas pessoas quando crescem se tornam maldosas Esther, e se sentem felizes em diminuir os outros. Vai entender… tem doido pra tudo nesse mundo!!! :/
E a Adriana Galvão (Cantinho by Dri), que fez várias perguntinhas lá pela Fan Page, e brincou: “Eita a pessoa começa a fazer perguntas e não para mais… kkkk” Dri, boba… adoooooooooooooooooro!!! Agora imagina nós duas pessoalmente???? Papo pro dia todo, com certeza! Bora marcar um café pra papear bastante! he he he 😉
A Dri perguntou sobre “Blogueiras Ostentação”, fobia social, inspirações, o futuro da blogosfera, críticas negativas… Enfim, só tem pergunta legal! Quer saber as respostas? Aperta o play e vem:

E aí, perguntas para o próximo vídeo? 
Tem dúvida de como buscar parcerias, montar encontrinhos, participar de eventos e etc? Está passando por algum problema, e gostaria de desabafar, pedir uma opinião, um conselho? Seja o que for, se eu souber e puder lhe ajudar, ficarei muito feliz, pode ter certeza disso! 
 #juntassomosmelhores 
Até a próxima semana, com mais perguntas e respostas!
Bjks!  
Simone Aline, Blogueira S.A., fashionblogger, beautyblogger, consultório virtual

QUER DE$CONTO$ EM MAQUIAGENS, ROUPAS, SAPATOS E COSMÉTICOS?
CLIQUE AQUI E CONHEÇA NOSSAS LOJAS PARCEIRAS!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Diário da Si, Diversos, Esportes, Polêmicos

♥ O BRASIL E O BRASILEIRO! ♥

Juro que há cerca de dois meses atrás eu tive medo. Medo de não ter realmente a Copa, justamente quando seria aqui, no meu país!!! Se eu gosto de futebol? Não ligo, não mesmo…

Quem me conhece sabe que em dias de jogos do meu próprio time, prefiro ficar na cozinha. Numa boa e feliz da vida faço os belisquetes para os amigos do maridão. E confesso que adoro a forma como eles vibram: feito crianças! Xingam a mãe do juiz, os jogadores, brigam, se abraçam para comemorar… Mas eu não me empolgo nem um pouquinho.

Mas na Copa do Mundo????

Ah, eu me importo!!! Faço os belisquetes antes… deixo tudo pronto. Na hora que o Brasil entra em campo, eu estou na frente da tv, ansiosa pelo jogo! Canto o hino orgulhosa, e a cada 4 anos, sou eu que me sinto um “menino”: vibro, xingo, grito… enfim, torço! Torço muito!

Se eu entendo de futebol? Porra nenhuma… mas dou pitaco, grito instruções para o técnico, xingo a mãe do juiz, o adversário… E num gol, me sinto uma criança!!!

PQP!!! GOOOOOOOOOOOOOLLLLL!!!

Desde pequena sou assim. Espero 4 anos para torcer pelo meu Brasil numa Copa.

E enfim, a Copa do Mundo começou… exatamente aqui no nosso país!

 Onde há alguns meses atrás se via a hashtag #nãovaitercopa estampada em todas as redes sociais.  O povo estava desanimado mesmo… desacreditado, desiludido. Cansado de ser passado pra trás e não tomar uma atitude. Cansado de dar dinheiro para os políticos, de ser roubado na cara dura, de não ter nenhum direito… Mas aí a gente lembrou que era o País do Futebol!

Sim, gostaríamos de ser também o país do bom atendimento em hospitais, do serviço público de qualidade, do transporte maravilhoso, da segurança máxima… ah, vai… mas já que não somos merda nenhuma, que sejamos ao menos o número 1 em alguma coisa. Que façamos uma criança sorrir e sonhar um dia crescer e jogar futebol pelo mundo afora. Se é só isso que podemos, que façamos bem então!!!

E de repente, eis o povo orgulhoso de novo! Dá um orgulho de ver o povo com orgulho também de vestir a camisa, sabia? Dá sim!!!

Em época em que todo mundo veste “orgulhoso” as bandeiras da Inglaterra e dos USA em roupas, capas de celulares, acessórios… Porra, azul e vermelho é bacana, mas é tão básico!!! Gosto de cores que vibram! Gosto do nosso verde e amarelo. Gosto do nosso azul com estrelas. Gosto de tudo junto e misturado.

E é assim na Copa! As pessoas se tornam orgulhosas de serem Brasileiras, mesmo ainda sabendo que o Brasil tem tantos problemas (vergonhosos até!).

Mas hoje foi vergonhoso perder… não por perder, apenas!

Por perder em casa, por perder sem Neymar, por perder para a Alemanha… mas mais ainda… por perder de 7 x 1, e com uma sequência de gols em  poucos minutos de jogo… Foi desnorteador, humilhante e ainda assim… deu orgulho. Não de ver essa derrota. Mas de não vê-los correr de vergonha. Porque eu teria saído correndo no meio do campo, aos prantos, tamanha a vergonha! E ali estavam, e permaneceram (embora vaiados e diminuídos), tentando… apenas! Mais emocionante ainda foi ver no final a emoção de cada um… o choro igual de uma criança, sentindo o peso da derrota nos ombros. E ter que encarar um país inteiro!!! Tem que ser muito homem para isso, sinceramente! E eles foram… e foram embora!

Vamos lutar por um terceiro lugar. E que ele venha com orgulho, como foi até agora!

E que o brasileiro não perca a pouca educação que tem, e saia por aí fazendo arruaça, quebrando patrimônio público, destruindo o quase nada que lhe resta! 🙁

E que não vire moda queimar a bandeira… porque isso sim dá vergonha!

Povo de merda, que só tem orgulho se tiver tudo bem…

Eu prefiro continuar com a hashtag #OrgulhoDeSerBrasileira

Sim, eu tenho!

Muito orgulho e muito amor!

Bjks!

Simone Aline, Blogueira S.A., fashionblogger, beautyblogger, consultório virtual

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥

Comportamento, Datas Comemorativas, Diário da Si, Diversos, Leitura-Textos-Poesias, Polêmicos

♥ O DIA INTERNACIONAL DO POR QUÊ NUNCA QUIS UMA FILHA ♥

Quase todo mundo acha que meu sonho era ter uma filha…
Acho que porque sempre gostei de rosa, sempre gostei de coisinhas de menina: para vestir, para colocar no cabelo, para as unhas… Como dizem minhas irmãs: sempre fui perua! kkkkkkkkk
Sou uma menina “nata”.
Mas na infância fui “moleque”! Até não dar mais… até que os peitinhos começaram a crescer… até que fiquei mocinha… um saco!!! Esse é o momento mais difícil na vida de uma “mulher”! É quando entendemos como e quanto somos diferentes dos meninos!!! 
E isso dói: 
– fisicamente todo mês, quando as cólicas surgem  impiedosas, e os hormônios nos fazem enraivecer ou chorar por motivo algum;
– psicologicamente todo dia, quando lembramos que o princípio constitucional da igualdade, na prática, não é exatamente “igual” para ambos os sexos;
– emocionalmente sempre que nos apaixonamos… e que instintivamente os homens se aproveitam disso. Porque eles podem desejar um corpo, machucar um coração, e simplesmente continuarem a vida como se nada tivesse acontecido… nós não!!!
Imagina criar uma menina assim???? E eu sempre pensei muito nisso!
O que eu vou dizer quando um homem fizer isso com ela???? 
AMO cuidar de meninas: sobrinhas, afilhadas, filhas de amigas… mas NUNCA me imaginei sendo mãe de uma! Justamente porque já “senti na pele” algumas dessas dores que só uma mulher sente! =(
É fácil na infância ser uma menina! Mas de repente, temos que crescer! E é difícil se tornar uma mulher, e ter que se moldar ao mundo machista que vivemos! Vale o texto abaixo, lindíssimo (e estou “nesse dias” exatamente, o que me faz chorar mais uma vez o lendo, lógico!!!) É grande, eu sei… mas super vale a pena!!! O texto foi publicado no facebook em Janeiro deste ano, por “Caio Gimenez Guimarães“, e até agora, já possui mais de 10 MIL compartilhamentos. Se o próprio Caio é autor do texto, bato palmas de pé para tamanha sensibilidade vinda de um homem!!! E faço das palavras do texto as minhas, para explicar o “porquê” eu nunca me imaginei com uma filha!!! Não suportaria “aceitar” que um homem pudesse fazê-la sofrer assim…  =/


“Sou homem.

Quando nasci, meu avô parabenizou meu pai por ter tido um filho homem. E agradeceu à minha mãe por ter dado ao meu pai um filho homem. Recebi o nome do meu avô.

Quando eu era criança, eu podia brincar de LEGO, porque “Lego é coisa de menino”, e isso fez com que minha criatividade e capacidade de resolver problemas fossem estimuladas.

Ganhei lava-jatos e postos de gasolina montáveis da HotWheels. Também ganhei uma caixa de ferramentas de plástico, para montar e desmontar carrinhos e caminhões. Isso também estimulava minha criatividade e desenvolvia meu raciocínio, o que é bom para toda criança.

Na minha época de escola, as meninas usavam saias e meus amigos levantavam suas saias. Dava uma confusão! E então elas foram proibidas de usar saias. Mas eu nunca vi nenhum menino sendo realmente punido por fazer isso, afinal de contas “Homem é assim mesmo! Puxou o pai esse danadinho” – era o que eu ouvia.

Em casa, com meus primos, eu gostava de brincar de casinha com uma priminha. Nós tínhamos por volta de 8 anos. Eu era o papai, ela era a mamãe e as bonecas eram nossas filhinhas. Na brincadeira, quando eu carregava a boneca no colo, minha mãe não deixava: “Larga a boneca, Juninho, é coisa de menina”. E o pai da minha priminha, quando via que estávamos brincando juntos, de casinha, não deixava. Dizia que menino tem que brincar com menino e menina com menina, porque “menino é muito estúpido e, principalmente, pra frente”. Eu não me achava estúpido e também não entendia o que ele queria dizer com “pra frente”, mas obedecia.

No natal, minha irmã ganhou uma Barbie e eu uma beyblade. Ela chorou um pouco porque o meu brinquedo era muito mais legal que o dela, mas mamãe todo ano repetia a gafe e comprava para ela uma boneca, um fogãozinho, uma geladeira cor-de-rosa, uma batedeira, um ferro de passar.

Quando fiz 15 anos e comecei a namorar, meu pai me comprou algumas camisinhas.

Na adolescência, ninguém me criticava quando eu ficava com várias meninas.

Atualmente continua assim.

Meu pai não briga comigo quando passo a noite fora. Não fica dizendo que tenho que ser um “rapaz de família”. Ele nunca me deu um tapa na cara desconfiado de que passei a noite em um motel.

Ninguém fica me dando sermão dizendo que eu tenho que ser reservado e me fazer de difícil.

Ninguém me julga mal quando quero ficar com uma mulher e tomo a iniciativa.

Ninguém fica regulando minhas roupas, dizendo que eu tenho que me cuidar.

Ninguém fica repetindo que eu tenho que me cuidar porque “mulher só pensa em sexo”.

Ninguém acha que minhas namoradas só estavam comigo para conseguir sexo.

Ninguém pensa que, ao transar, estou me submetendo à vontade da minha parceira.

Ninguém demoniza meus orgasmos.

Nunca fui julgado por carregar camisinha na mochila e na carteira.

Nunca tive que esconder minhas camisinhas dos meus pais.

Nunca me disseram para me casar virgem por ser homem.

Nunca ficaram repetindo para mim que “Homem tem que se valorizar” ou “se dar ao respeito”. Aparentemente, meu sexo já faz com que eu tenha respeito.

Quando saio na rua ninguém me chama de “delícia”.

Nenhuma desconhecida enche a boca e me chama de “gostoso” de forma agressiva.

Eu posso andar na rua tomando um sorvete tranquilamente, porque sei que não vou ouvir nada como “Larga esse sorvete e vem me chupar”. Eu posso até andar na rua comendo uma banana.

Nunca tive que atravessar a rua, mesmo que lá estivesse batendo um sol infernal, para desviar de um grupo de mulheres num bar, que provavelmente vão me cantar quando eu passar, me deixando envergonhado.

Nunca tive que fazer caminhada de moletom porque meu short deixa minhas pernas de fora e isso pode ser perigoso.

Nunca ouvi alguém me chamando de “Desavergonhado” porque saí sem camisa.

Ninguém tenta regular minhas roupas de malhar.

Ninguém tenta regular minhas roupas.

Eu nunca fui seguido por uma mulher em um carro enquanto voltava para casa a pé.

Eu posso pegar o metrô lotado todos os dias com a certeza que nenhuma mulher vai ficar se esfregando em mim, para filmar e lançar depois em algum site de putaria.

Nunca precisaram criar vagões exclusivamente para homens em nenhuma cidade que conheço.

Nunca ouvi falar que alguém do meu sexo foi estuprado por uma multidão.

Eu posso pegar ônibus sozinho de madrugada.

Quando não estou carregando nada de valor, não continuo com medo pelo risco ser estuprado a qualquer momento, em qualquer esquina. Esse risco não existe na cabeça das pessoas do meu sexo.

Quando saio à noite, posso usar a roupa que quiser.

Se eu sofrer algum tipo de violência, ninguém me culpa porque eu estava bêbado ou por causa das minhas roupas.

Se, algum dia, eu fosse estuprado, ninguém iria dizer que a culpa era minha, que eu estava em um lugar inadequado, que eu estava com a roupa indecente. Ninguém tentaria justificar o ato do estuprador com base no meu comportamento. Eu serei tratado como VÍTIMA e só.

Ninguém me acha vulgar quando faz frio e meu “farol” fica “aceso”.

Quando transo com uma mulher logo no primeiro encontro sou praticamente aplaudido de pé. Ninguém me chama de “vagabundo”, “fácil”, “puto” ou “vadio” por fazer sexo casual às vezes.

99% dos sites de pornografia são feitos para agradar a mim e aos homens em geral.

Ninguém fica chocado quando eu digo que assisto pornôs.

Ninguém nunca vai me julgar se eu disser que adoro sexo.

Ninguém nunca vai me julgar se me ver lendo literatura erótica.

Ninguém fica chocado se eu disser que me masturbo.

Nenhuma sogra vai dizer para a filha não se casar comigo porque não sou virgem.

Ninguém me critica por investir na minha vida profissional.

Quando ocupo o mesmo cargo que uma mulher em uma empresa, meu salário nunca é menor que o dela.

Se sou promovido, ninguém faz fofoca dizendo que dormi com minha chefe. As pessoas acreditam no meu mérito.

Se tenho que viajar a trabalho e deixar meus filhos apenas com a mãe por alguns dias, ninguém me chama de irresponsável.

Ninguém acha anormal se, aos 30 anos, eu ainda não tiver filhos.

Ninguém palpita sobre minha orientação sexual por causa do tamanho do meu cabelo.

Quando meus cabelos começarem a ficar grisalhos, vão achar sexy e ninguém vai me chamar de desleixado.

A sociedade não encara minha virgindade como um troféu.

90% das vagas do serviço militar são destinadas às pessoas do meu sexo. Mesmo quando se trata de cargos de alto escalão, em que o oficial só mexe com papelada e gerência.

Se eu sair com uma determinada roupa ninguém vai dizer “Esse aí tá pedindo”.

Se eu estiver em um baile funk e uma mulher fizer sexo oral em mim, não sou eu quem sou ofendido. Ninguém me chama de “vagabundo” e nem diz “depois fica postando frases de amor no Facebook”.

Se vazar um vídeo em que eu esteja transando com uma mulher em público, ninguém vai me xingar, criticar, apedrejar. Não serei o piranha, o vadio, o sem valor, o vagabundo, o cachorro. Estarei apenas sendo homem. Cumprindo meu papel de macho alpha perante a sociedade.

Se eu levar uma vida putona, mas depois me apaixonar por uma mulher só, as pessoas acham lindo. Ninguém me julga pelo meu passado.

Ninguém diz que é falta de higiene se eu não me depilar.

Ninguém me julgaria por ser pai solteiro. Pelo contrário, eu seria visto como um herói.

Nunca serei proibido de ocupar um cargo alto na Igreja Católica por ser homem.

Nunca apanhei por ser homem.

Nunca fui obrigado a cuidar das tarefas da casa por ser homem.

Nunca me obrigaram a aprender a cozinhar por ser homem.

Ninguém diz que meu lugar é na cozinha por ser homem.

Ninguém diz que não posso falar palavrão por ser homem.

Ninguém diz que não posso beber por ser homem.

Ninguém olha feio para o meu prato se eu colocar muita comida.

Ninguém justifica meu mau humor falando dos meus hormônios.

Nunca fizeram piadas que subjugam minha inteligência por ser homem.

Quando cometo alguma gafe no trânsito ninguém diz “Tinha que ser homem mesmo!”

Quando sou simpático com uma mulher, ela não deduz que “estou dando mole”.

Se eu fizer uma tatuagem, ninguém vai dizer que sou um “puto”.

Ninguém acha que meu corpo serve exclusivamente para dar prazer ao sexo oposto.

Ninguém acha que terei de ser submisso a uma futura esposa.

Nunca fui julgado por beber cerveja em uma roda onde eu era o único homem.

Nunca me encaixo como público-alvo nas propagandas de produtos de limpeza.

Sempre me encaixo como público-alvo nas propagandas de cerveja.

Nunca me perguntaram se minha namorada me deixa cortar o cabelo. Eu corto quando quero e as pessoas entendem isso.

Não há um trote na USP que promove minha humilhação e objetificação.

A sociedade não separa as pessoas do meu sexo em “para casar” e “para putaria”.

Quando eu digo “Não” ninguém acha que estou fazendo charme. Não é não.

Não preciso regrar minhas roupas para evitar que uma mulher peque ou caia em tentação.

As pessoas do meu sexo não foram estupradas a cada 40 minutos em SP no ano passado.

As pessoas do meu sexo não são estupradas a cada 12 segundos no Brasil.

As pessoas do meu sexo não são estupradas por uma multidão nas manifestações do Egito.

É fundamental admitir que a sociedade INTEIRA precisa do Feminismo.

Não minimize uma dor que você não conhece.”

Tão mais fácil ser homem num mundo assim, né? =/
Enfim… que um dia tenhamos um mundo onde não seja preciso uma “data” para lembrar apenas que somos “iguais”, mesmo com o sexo diferente!
À todas “nozes”: parabéns!!!
juntas somos melhores, mulheres, homens podem, mulheres não podem, criação, filhos, diferença dos sexos
Bjks!!!
Simone Aline, Blogueira S.A., fashionblogger, beautyblogger, consultório virtual
QUER DE$CONTO$ EM MAQUIAGENS, ROUPAS, SAPATOS E COSMÉTICOS?
CLIQUE AQUI E CONHEÇA NOSSAS LOJAS PARCEIRAS!

Apenas alguém feliz! 🙂

E que acredita que #juntassomosmelhores ♥