Browsing Tag

Basquete

Comportamento, Crianças / Filhos, Filmes

SUPERAÇÃO – O MILAGRE DA FÉ

Primeiro trailer do filme “Superação – O Milagre da Fé” é lançado no Brasil:

Aqui em casa está todo mundo ansioso para assistir a esse filme, que estreia nos cinemas do país no dia 11 de abril de 2019. Que a gente sempre teve uma forte ligação com o basquete vocês sempre souberam. Quem acompanha o blog já leu em algum momento a saga do basquete – no país do futebol, kkkkkkk – tudo por causa dos filhotes. Bem, aí já se vão uns 10 anos. E o amor deles pelo basquete só aumentou. Com maridão engajado no time dos Gladiadores, e filhotes agora treinando diariamente em seus times e jogando quase todo final de semana, até eu já adoro o esporte!

E euzinha adoro cinema também, com as preferências tão ecléticas quanto na música. O ano de 2018 foi marcante para o cenário cinematográfico cristão com o lançamento de muitos filmes que impactaram o público e levaram milhões de pessoas às salas de cinema de todo o país. Em 2019 não será diferente, e o primeiro filme a ser lançado será “Superação – O Milagre da Fé”.

O longa-metragem será distribuído pela Fox Film do Brasil em parceria com a 360 WayUp, empresa que tem sido referência nas campanhas de lançamento de filmes cristãos no Brasil.

Com produção de DeVon Franklin (“Milagres do Paraíso”), direção de Roxann Dawson (House of Cards) e adaptado para o cinema por Grant Nieporte (“Sete Vidas”) do livro de Joyce Smith, “Superação – O Milagre da Fé” conta a história real de uma mãe que une a fé, o amor e a esperança para conquistar um milagre e recuperação na vida do filho. Levando em conta que eu me acabei de chorar em todos esses aí de cima, e só de assistir o trailer eu me emociono, vou fazer vergonha no cinema!!!

Sinopse

“Superação – O Milagre da Fé” baseia-se na história real e inspiradora do amor inabalável de uma mãe em face de probabilidades impossíveis. Quando o filho adotivo de Joyce Smith (Chrissy Metz, “This Is Us”), John, cai em um lago congelado no Missouri (EUA), toda a esperança parece perdida. Com John sem vida, Joyce se recusa a desistir. Sua implacável convicção inspira as pessoas ao seu redor a continuarem orando pela recuperação de John, mesmo diante de todo o histórico do caso e previsões científicas jogando contra. Do produtor DeVon Franklin (“Milagres do Paraíso”) e adaptado para o cinema por Grant Nieporte (“Sete Vidas”) do livro de Joyce Smith, “Superação – O Milagre da Fé”  é um lembrete fascinante de que a fé e o amor podem criar uma montanha de esperança e, às vezes, até um milagre.

Não vejo a hora de assistir essa história linda! Porque eu acredito muito no amor de uma mãe por um filho e no amor de Deus por todos os seus filhos. “E tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis!”  Mateus 21:22 Aliás, Mateus é o meu livro bíblico preferido. As passagens mais lindas estão ali. Seguido por Provérbios, Lucas e Salmos.

Beleza e Saúde, Corpo / Pele, Crianças / Filhos, Dicas, Diversos, Esportes

HÁBITOS DE ATLETAS

Eu tenho dois atletas aqui em casa. Quem me acompanha há algum tempo, já leu por aqui muitas vezes sobre o basquete dos filhotes. E deixa a mamãe orgulhosa aqui falar: hoje eles são atletas federados! E jogam muito mesmo! Mas o que eu quero dizer não é  [apenas] o quanto eles são bons na quadra! Quero ressaltar a importância da disciplina que o esporte ensina!

Hoje, o mais velho está com 15 anos, e o mais novo com 11. O basquete para eles é um compromisso: com eles, com o time, com seus treinadores. Acredito que todo esporte seja capaz de desenvolver essas características na infância e juventude: responsabilidade, competitividade, coletividade, dentre tantas outras.  E num clube, além do treinamento, há palestras com nutricionistas, dinâmicas com psicólogos, e todo um trabalho que ajuda meninos e meninas a perceberem o quanto os hábitos influenciarão no seu futuro.

Meus rapazinhos se preocupam com o sono, a musculatura, os ossos, e até com a alimentação agora. Sabem que podem comer de tudo, e que para cada coisa existe uma regra. Não tem dificuldade para seguir nenhuma delas. Dá um orgulho!

Eu e meu esposo sempre concordamos que eles tinham que fazer um esporte. Não importava qual. Claro que marido queria futebol (desejo de 10 entre 10 pais brasileiros! rsrsrs). Mas o esporte escolhido foi o basquete. E lá fomos nós, nos desdobrando para que eles conseguissem fazer o que escolheram. As escolinhas sempre foram mais limitadas, os uniformes idem (e bem mais caros também). Achar um tênis de basquete infantil (e num preço acessível) por aqui, é uma tarefa impossível! Então, a gente sempre correu muito atrás de tudo! Mas a gente queria que eles fizessem um esporte. E esse foi o escolhido deles! Então, a gente tinha que fazer a nossa parte também, né?

A vida de um atleta, independentemente da modalidade esportiva praticada, é bem agitada. Eles treinam diariamente, mesmo em época de provas. Tem que aprender a dividir o seu tempo entre os estudos e o esporte. E as notas são cobradas. E é preciso muita disciplina e, sobretudo, concentração para alcançar o pódio. Não é uma rotina fácil, e muitas vezes eles ficam exaustos, cansados de verdade! Mãezica faz massagens nas musculaturas, canta, afaga… e eles caem no sono! Merecido!

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em péA imagem pode conter: Marcelo André Chagas, em pé

No fundo, eles nos ajudam a melhorar nosso sedentarismo também, nos tornando mais saudáveis.  E eu contei um pouquinho mais da minha história sendo mãe de atleta, para compartilhar com vocês algumas dicas que recebi por e-mail, pois concordo que  alguns hábitos adotados por eles podem ser replicados no dia a dia de qualquer um de nós e que tendem a nos tornar ainda mais saudáveis.

A psicóloga Laís Yuri e a nutricionista Aritiane Silva, especialistas da equipe do Instituto Tênis, instituição sem fins lucrativos que apoia o desenvolvimento do tênis nacional, selecionaram algumas dicas de práticas seguidas por atletas da entidade que podem ser incorporadas à nossa vida, melhorando, assim, a qualidade da nossa saúde física e mental.

De acordo com a psicóloga, para quem busca a equação “mente sã, corpo são”, três hábitos são imprescindíveis. São eles:

1 – Crie metas factíveis e as persiga com determinação.

Elaborar e perseguir metas não são prerrogativas apenas do mundo esportivo. Mas, nesse ambiente, o atleta precisa traçar objetivos bem definidos desde muito cedo. Por exemplo, no Instituto Tênis, um tenista de oito anos de idade já sabe o que são metas, para o que servem, como planejá-las e entende que algumas delas são mais rápidas e fáceis de se alcançar do que outras. Quando metas são definidas e suas motivações são claras, o indivíduo passa a ter foco – ele compreende o que está fazendo e porque deve fazê-lo, o que reduz a ansiedade e o sentimento de frustração;

2 – Organize a sua rotina e tenha tempo para tudo.

Manter a rotina organizada é uma exigência para qualquer atleta. Para não se perder nas atividades e nos objetivos, é preciso de organização; é preciso saber quanto tempo se gasta com cada prática e o horário de cada uma delas. Por exemplo, qual o horário do estudo e por quanto tempo se deve estudar, qual o horário das refeições, dos treinos, de interagir com colegas etc. Assim como um atleta, organizar a rotina é essencial para que todos nós possamos cumprir uma agenda de responsabilidades diárias cada vez com mais eficiência e assertividade;

3 – Respire fundo. Ansiedade não ajuda em nada.

Tirar alguns minutos ao longo do dia, respirar fundo e prestar atenção em si mesmo, sem a preocupação com o que se precisa fazer ao longo do dia é muito importante. Sem isso, a rotina acaba consumindo o indivíduo, que fica cansado, estressado e frustrado e não consegue se apropriar dos seus desejos genuínos e do que realmente precisa para ser feliz.

Já do ponto de vista da nutrição, algumas mudanças também são muito bem-vindas, de acordo com a nutricionista Aritiane. São práticas simples, que podem fazer parte de qualquer cardápio. Vamos a elas:

  1. Diminua o consumo de alimentos processados e evite os ultraprocessados, devido o alto teor de gordura e sódio (comidas industrializadas e congeladas, peito de peru, sorvete etc);
  1. Evite preparações à base de frituras por imersão (frango frito, batata frita etc) e o consumo de produtos refinados (pães brancos, torradas, biscoitos e açúcar);
  1. Faça três refeições fixas ao dia – café da manhã, almoço e jantar – e insira um ou dois lanches intermediários;
  1. Dê preferência às fontes de carboidratos complexos integrais e de fibras (pães e massas integrais com grãos);
  1. Consuma de duas a três porções de frutas ao dia e legumes e verduras nas duas refeições principais – almoço e jantar;
  2. Ingira ao menos 2 litros de água por dia.

    Com tantas boas dicas, é possível, sim, apresentar um excelente rendimento na vida, assim como os atletas do Instituto Tênis estão, regularmente, registrando nas quadras do Brasil e do mundo. Assim como os meus atletas de basquete tem feito ao longo das suas vidinhas Pensem nisso! Beijos.

Comportamento, Crianças / Filhos, Diário da Si, Esportes

MEU BÊZINHO JOGADOR DE BASQUETE

Oi gente linda 🙂

Quem me acompanha lá no instagram (segue lá: @simone_aline) sabe que meu filhote mais novo, Marcelo André, detesta quando eu o chamo assim: de Bê. Recentemente, alguns amiguinhos da escola vieram fazer um trabalho aqui, e ouvi a mãe de um deles o chamando de Bê. Aí falei: “Tá vendo filho, a mãe do seu amigo também o chama de Bê, e ele nem liga. Atende sem cara feia e responde numa boa!” Aí ele me olhou, sorriu e disse: “Mãe, o nome dele é Bernardo!” kkkkkkkk

Ah, tá bom… e daí? Filhos são nossos eternos bebês, crianças, adolescentes no máximo. Porque mesmo quando se tornam adultos, continuam sendo os filhos!

Mas hoje vou falar do meu Bêzinho jogador de basquete. Que ele joga, não é novidade. Teve seu irmão mais velho como ídolo, e claro, acabou decidindo praticar o mesmo esporte!  Parece que foi ontem que jogou pela primeira vez no time do irmão, onde as tias o deixavam treinar e quicar a bola, de tanto que ele já gostava e queria também! Ele era o menorzinho, o xodó do pré-mirim. Vira e mexe dentro da quadra, ele abria os braços e fazia um “aviãozinho”, todo mundo ria. Era uma graça. E ele se sentia jogador também!

Amo ver essas fotos lá do início da “carreira”, ele pequenininho ao lado do irmão mais velho! Claro que meu Bê acabou aprendendo a jogar cedo, e desenvolvendo seu talento também pra coisa! E continua seguindo absolutamente todos os passos do irmão.

Daí que o irmão decidiu que queria fazer peneira esse ano. Peneira  no basquete é igual no futebol: uma “prova”, uma seleção que os times fazem para descobrir novos jogadores nas categorias de base (menores de 18 anos). E ali avaliam as características e habilidades de cada um.

O professor de basquete do time atual do meu Bê… ops, Cecelo – está na iminência de ir para o Vasco da Gama. E já disse que, se realmente for, levaria ele junto.  Mas Cecelo puxou a minha ansiedade. E a primeira peneira que abriu, ele quis logo tentar, para saber exatamente como funciona.

E ontem, lá foi ele para o Fluminense:

Ficou todo bobo porque passou na peneira e irá participar do time. Já até avisou ao treinador, que disse que era para ele ficar no Flu mesmo, porque vai que o Vasco não rola… O Fluminense tem uma escolinha maravilhosa para os times de base, vejo isso desde o pré-mirim.

Mais uma conquista do meu filhotinho mais novo! E a mamãezica está como? Muito feliz por ele também!

Crianças / Filhos, Diário da Si, Dicas, Diversos, Esportes, Eventos, Uncategorized, Viagens-Passeios-Turismo

#NBAhouseRio

Oi gente linda 🙂

Na última sexta-feira a #NBAHOUSERIO  abriu as portas para receber a galera! Mas, devido aos compromissos profissionais, só ontem que podemos curtir a casa!

Quem me acompanha sabe que eu tenho 2 atletas mirins em casa, e por causa deles, passe a acompanhar jogos de basquete e ficar por dentro de tudo desse mundo (ou quase, né? rs).

Ainda me lembro do sufoco para conseguir uma escolinha quando Dandan, aos 5 anos, disse que queria jogar basquete… no país do futebol!!! Foi difícil… mas eu achei! E desde então, ele não parou mais! Influenciou o irmão, que começou a praticar com apenas 4 anos, e era o “mascote” nos jogos do pré-mirim, tendo o irmão como “ídolo”.

Ambos já pediram “Festa de Basquete” nos seus aniversários, e são os meus medalhistas:

#NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016;

Resumindo: qualquer coisa sobre o basquete, sempre agrada esses dois: roupa, tênis, bonés, jogos, e etc. De onde vem essa paixão??? E a gente explica paixões? Enfim, e se eles gostam, eu também gosto. E posso dizer que me apaixonei junto: pelo estilo, pelos grandões, pelos tênis, pelos mascotes, por tudo! rsrsrs É tão gostoso ver a alegria deles, que eu vibro junto, claro!

E ontem foi um dia de vibrar com eles na #NBAHOUSERIO.

Partimos no final da manhã para o Boulevard Olímpico (e quem diria, aquela “zona” está linda!!!). Mas confesso: é um passeio não muito pensado para a família, com crianças e idosos. Cerveja você encontra a cada 100 metros. Água a cada quilômetro!!! Desgastante demais para quem não é jovem (e claro, que beba cerveja), achei bem mal pensado. Sem falar que as opções de comidas também são poucas! Então, fica a dica: leve de casa!!! Além do que, vai enfrentar longas filas, então, melhor sair de casa abastecido.

Demoramos quase 2 horas para entrar na casa, e lá dentro também não havia água. Filhotes estavam cansados, claro! Mas se divertiram muito, muito mesmo. Cada atração, cada jogo, com tudo!!!

#NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016; #NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016; #NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016; #NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016;

#NBAhouseRio;NBA;house rio;casa da nba;basketball;rio olímpico;boulevard olímpico;casa do basquete; rio2016;

Claro que eles não queriam sair, né? Mas a sede falou mais alto… Havia um bar lá dentro, mas somente para convidados! 🙁 Puxa, magoei!

Só não consegui ver o show de enterradas (que só conheço em vídeos) e não vi também nenhum mascote. Snif, snif. Mas ainda quero voltar para ver!!! ha ha ha

Mas é um passeio que super vale a pena para quem curte o basquete. A loja tem produtos com preços bacanas de camisa, bonês, canecas, e outros com o mesmo preço de shopping. Então, nem tudo é vantagem comprar lá dentro.

E super vale a pena curtir cada brincadeira da minha amada Samsung: com direito a brinde de braçadeira e faixa para cabelo, que lógico, filhotes quiseram pegar! rsrsrs

Só não curti não ter água para vender lá dentro, e o virtuacast (uma foto com alguns dos novos craques da NBA, holográficos, que no site para busca sempre dá não encontrada! fuen, fuen, fuen)

Mas, no todo, fiquei deslumbrada com a grandiosidade da casa! E filhotes amaram o passeio. Ou seja, a mamãezica amou também!

Quer curtir um pouquinho junto com a gente? Aperta o play:

Crianças / Filhos, Diário da Si, Esportes

♥ NÃO TEM PREÇO… ♥

Há uns anos atrás eu falei num outro post aqui (clica pra ler, vai…rs) sobre o esporte escolhido pelo meu filhotinho mais velho.

Bem, irmão mais velho normalmente é “ídolo” do mais novo, né? E aqui em casa não é diferente. Desde pequeninho, o mais novo acompanha as aulas, os jogos do pré-mirim… assiste o irmão com orgulho e adoooora dizer pra todo mundo que ele é “jogador profissional”!!! kkkkkkkkkk

Há algum tempo que ele começou a fazer as aulas também… devagar, “imitando” o irmão em tudo… ele acaba levando sua bola de basquete, fazendo gracinhas, e as tias deixavam ele entrar em quadra no treinamento.

E no último domingo, filhote teve seu primeiro jogo oficial num Campeonato Pré-Mirim. Ohwn, ficou todo bobo!!! Foi a “sensação” no Jequiá, um clube na Ilha do Governador. Era o menorzinho, claro! Mas não se intimidou com Botafogo e com a Liga de Jacarepaguá. Venceram os dois jogos!!! E todo mundo vibrava, achando graça, quando ele gritava: “tô livre, aqui ó, tô livre!!!” kkkkkkkkk Muito engraçadinho mesmo!

Em breve as fotos oficiais estarão no site da Fberj, mas a mamãe coruja aqui tem tudo de primeira mão, claro! =)

A primeira camisa do Dandan (o mais velho) também foi a número 5, idade que entrou para o basquete! =) E agora, o caçulinha veste a mesma camisa! =) Ohwn…

Com o time da ABVRJ:

Olha o tamaninho dele no meio dos outros… que coisinha mais linda!!! Vocês tinham que ver ele jogando, que lindinho!!! ♥ Não parava de correr, de pedir a bola, de ir pra cima mesmo… rsrsrs #coisafofademãe

E a mamãezica, todo orgulhosa no final, cansada do plantão no hospital no dia anterior (que foi osso!!!rs), mas super animada para torcer pelos filhotes. Porque torcer pelos filhos NÃO TEM PREÇO!!! =)

AMO MUITO TUDO ISSO!!!
Bjks!
Crianças / Filhos, Diário da Si

♥ ORGULHO DA MAMÃE ♥

Orgulho eu acho que a gente sente de um filho por tudo e qualquer coisa… quando aprendem a andar, a balbuciar qualquer coisa, a bater palminhas… toda descoberta é motivo de muita alegria e de orgulho. Agora, o filhote mais velho está no 1º ano (Alfabetização) e é muito gostoso ver a “dificuldade” de coisas tão simples quando a gente já sabe e acompanhar o esforço para soletrar cada palavrinha nova! Lindo! Lindo!

Na última reunião, quando eu entrei na sala, a professora falou para meu filhote: “Daniel, deixa a mochila e vai para a Educação Física, tá bom?” E assim ele fez… e eu, ouvi um comentário de uma mãe com outra: “Olha, esse aí é que é o TAL do Daniel”. Lógico que sentei ao lado das duas mamães, e ao final da reunião, eu sorridentemente olhei para a mamãe que fez o comentário e perguntei: “Então quer dizer que o Daniel é conhecido? O que esse menino aprontou?” E ela disse que uma das filhas estuda com ele, a irmã mais velha está no 2º ano, e a coleguinha (filha da outra mamãe) é vizinha delas. E as três só comentam do “tal do Daniel” quando chegam em casa, dizendo que é o menino mais bonito da ESCOLA!!!  Ai meu Deus, e eu fiquei toda boba. ha ha ha ♥ Com 6 anos, 6 anos!!! Não é porque é meu filho não, mas ele é lindo mesmo!!! kkkk Só queria “dividir” isso…. he he he

Aí pulo pra nova escolinha de basquete. Já escrevi num outro post sobre isso… e as crianças na nova escolinha ganham o uniforme do time (Embratel – ABVRJ) após 3 meses de aulas (tempo estimado para avaliação). E meu filhote entrou há cerca de 1 mês, e ganhou o uniforme na última aula. Ficou todo bobo!!! E eu também, claro! É impressionante como quando um filho está feliz a gente fica feliz também!!! Caraca, ele é um pedaço do meu coração!!! Gente, esse é um sentimento realmente indescritível! E o mais novo idem. É como sempre digo: “O amor é a única coisa que cresce, a medida que se reparte!”

Tia Márcia Cristina dos Santos e Tia Ana Maria Barcelos dos Santos, essas são as novas professoras do Dandan. E esse é o uniforme novo dele!

Na escolinha de basquete, as meninas também ficam “cheias de graça”… Teve uma menina que veio me perguntar a idade dele, toda sorridente! Ela tem 8 anos, e como são da mesma altura, ela imaginava que ele tinha mais idade… quando eu disse que tinha apenas 6, ela deu aquela risadinha “sem graça”, e disse: “Ah, ele é muito criança então” (como se ela não fosse!!!! kkkkk). Engraçado isso.

Por enquanto ele nem liga para esses comentários, e sabe Deus por que, sua autoestima não é lá grandes coisas: ele diz que o cabelo é muito claro, que não tem cílios e sobrancelha igual das outras crianças… enfim… vai entender. A gente tem trabalhado isso desde sempre com ele! Mas receber elogios de pessoas que não são da família faz bem pro ego, claro! O dele então, mais ainda!

Eu tenho motivo para me orgulhar da beleza dele, claro! Mas me orgulho do menino bom que ele é: como ser humano mesmo! Amigo, cuidadoso, zeloso… se deixarem, eu vou escrever sem parar agora! ha ha ha  Coisa de mãe, né?

Super beijo,

Crianças / Filhos, Diário da Si, Entretenimento e Cultura, Esportes

♥ MEU FILHO SPORT CLUB♥

Oi gente, hoje vou falar um pouquinho do filhote mais velho (eita, o post vai ser grande então, rsrs):

Essa coisinha linda da foto e cheio de estilo está com 6 anos, e essa semana começou a frequentar as aulas da ABVRJ (Associacao de Basquetebol de Veteranos do Rio de Janeiro), na Praça da Bandeira. Quando ele foi conhecer a quadra, ele ficou encantado com o piso, dizendo que era igual das quadras de basquete de verdade.

Filhote tem loucura pelo basquete! Pois é, vai entender… Quando ele nasceu, o quartinho tinha um tapete de campo de futebol, muitas bolas e claro, um uniforme completo do Flamengo. Depois que começou a andar e correr, o pai todo bobo, matriculou na escolinha de futebol do condomínio, comprou uniforme, chuteira e nada! Ele não queria jogar, só olhar mesmo.

Por volta dos 4 anos ele se encantou com o personagem Troy do “High School Musical”, e claro, com o esporte que ele praticava no filme:

troy-bolton-wildcats-basquete-inspiração

E assistíamos dia e noite, dia e noite, dia e noite… rsrsrs Quem tem filhos, sabe muito bem que crianças quando cismam com algum desenho ou filme: a gente assite mil vezes, e quando termina, assiste de novo… e de novo, e de novo! kkkk Eles não cansam de assistir a mesma coisa: decoram falas, cenas, músicas… rsrs HSM 1 e 2, era a nossa “variação”!!!

E aí, claro que no aniversário de 5 anos ele quis esse tema pra festa!  E eu fiz roupa para meu “wildcat” (o número 14 é do Troy) e uma jaqueta de “treinador” para o papai, claro!!!! Adooooro a família toda no clima da festa!!!!

E ele ganhou de presente um outro filme, o “Space Jam”, que eu e Klaus tínhamos em VHS, porque colecionávamos desenhos quando nos casamos. Daí, o novo filme se tornou o novo “vício”! rsrrsrs  E nunca irei me esquecer quando ele o viu pela primeira vez, e vendo a cena abaixo, ele exclamou: “quero voar igual a ele quando crescer!”

Desde então, comecei a ver escolinhas, mas já é difícil encontrar escolinha de basquete (futebol tem uma em cada esquina), e quando encontrava, eles só aceitavam de 8 anos em diante!

Até que um dia, no Sesc (que é aqui pertinho), eu quase “implorei” a recepcionista que aceitasse a matrícula dele com seus recentes 5 anos!!! Ela me falou que só com autorização do professor. E lá fomos nós…

Bem, filhote é grandão, e quando pegou na bola, o professor viu que ele tinha jeito pra coisa, e autorizou a matrícula na escolinha, e por lá ficou até então. Muito tímido, ele se solta no basquete! E adora quando os maiores “gritam” o nome dele: “Vai Dandan, vai Dandan”.

Ontem, quando coloquei os filhotes pra dormir, como de costume, fizemos a nossa oração: agradecemos o dia, tudo o que fizemos, a família e Amém! Então, antes que fizéssemos o sinal da cruz, ele disse: “mãe, ainda não terminei.” E eu, abrindo um dos olhos, curiosa, respondi: “tudo bem, pode continuar que Papai do Céu está ouvindo, filho.” E ele, com as mãozinhas e os olhos ainda fechados, disse: “obrigado pela aula no novo basquete, pela quadra profissional e que eu seja o melhor jogador do mundo!” Ohwn, que lindinho!!!

Euzinha chorando, claro… achei tão bonitinho ele agradecendo e pedindo uma coisa “especial” pra ele. E se é especial pra ele, é para mim também!

O Sesc era a poucos quarteirões daqui de casa, cerca de 5 minutos, dá pra ir andando. A quadra é poliesportiva, normal, a cesta também. Uma quadra apenas.

E na escolinha de agora da ABVRJ o piso é flutuante, amenizando o impacto, como na maioria das quadras que ele assiste aos jogos que vamos. As cestas também são profissionais, automáticas, o placar é eletrônico, tudo como nos jogos que ele vai para assistir. E ele já chegou “arrasando”, fez duas lindas cestas em jogo, e vááááárias outras tentativas. Jogou muito direitinho, e os alunos maiores no banco, gritavam: “joga pro Daniel, pro Daniel” rsrsrsrrs Nem preciso dizer que ele ficou todo bobo e a mamãzica dele também!!!

Agora 3 vezes por semana lá vou eu… Ando uns 10 minutos até chegar o metrô (porque o filhotinho mais novo anda devagar), fazemos baldeação de um metrô para o outro (e nisso o menor está no colo dormindo!!!). Ando mais uns 15 minutos da estação do Estácio até a ABVRJ. Ufa!!!! E chego sem os braços!!! rsrsrsrsrs

Mas a alegria que ele demonstra faz tudo valer a pena!!!

Se um dia ele vai ser jogador de verdade eu não sei. Para mim, ele já é! É o MEU jogador. E se ele quiser jogar “peteca” eu levo amarradona!!!!! E vou continuar torcendo: Vai Dandan, vai “psiu da mãe”!!! rsrsrs

Porque quando a gente ama, o mais importante é ver quem a gente ama feliz!!!

Veja o vídeo da primeira aula AQUI

Bjks!