JOKER (CORINGA): O OUTRO LADO DA MOEDA SEMPRE EXISTE!

em 22 janeiro 2020

Dia desses assisti Coringa, e como já era de se esperar, eu gostei! Já falei aqui o quanto gosto desses filmes que colocam o vilão quase que como uma vítima, contando o início de suas histórias, suas causas, suas origens... Porque eu até acredito que existam pessoas ruins, que já nascem com um caráter questionável. Mas NUNCA 100%! A família e a vida transformam as pessoas, de acordo com seu caráter, para o bem ou para o mal. E esses dois lados, infelizmente, todos nós temos! Uns com um lado mais aflorado que outro, é verdade!

Traumas e exclusões sociais são sempre prejudiciais para um ser humano. Precisamos do próximo, sempre! Empatia tem que ser mútua. E é engraçado como o ser humano reclama da falta dela, mas está sempre apontando o indicador, e nunca o polegar!!! Admitir que muitas vezes, e por muitos motivos diferentes, nós mesmos agimos de forma não muito amigável com alguém, é sempre mais difícil. E não sabemos se esse alguém é psicologicamente já abalado, se seu caráter já é duvidoso, que tipo de problemas ele enfrenta... enfim, não sabemos nada do outro! E ainda assim, não nos importamos.

Pra quem gosta de ação, o filme é um pouco devagar. São poucas cenas mais exaltadas. O personagem é bem perturbado, e conheço pessoas que se impressionaram com isso. Eu, particularmente, não vi nada demais na "loucura" dele. Conheço pessoas assim na vida real, e são bem próximas. Doenças mentais são bem complicadas de serem tratadas e controladas. Qualquer coisa pode ser um gatilho, de uma hora para outra, mesmo em tratamento. Por isso são tão partidária da reforma psiquiátrica com a desativação gradual dos manicômios. Sabe o ditado que diz que "o buraco é mais embaixo"? Pois é... muito mais nesse caso!!! Mas o foco do post é o filme.

E falando do Coringa, fiquei com pena dele. A gente consegue entender o porquê tanta raiva do Batman, e como Thomas Wayne (o pai de ambos) foi tão cruel com a empregada. E a gente questiona quantas vezes isso aconteceu (ou ainda acontece) na vida real. Pais que rejeitam seus filhos e aniquilam - das piores formas - seus "casos extraconjugais". 

Claro que nada justifica sair por aí matando, e só mesmo algo conflitando na própria mente, faz um ser humano tomar algumas atitudes. Mas é o que eu digo: não tem como prever o quê ou quando algo pode se tornar um gatilho. Mesmo com o paciente em tratamento controlado. 

Em vários momentos do filme, o personagem aparece preso no manicômio, batendo a cabeça (e dando a impressão do passado). E se houver realmente a parte 2 do filme, como dizem por aí, acredito que coloquem toda a história como uma grande alucinação, comum em pacientes como Arthur.

EMERGÊNCIA VETERINÁRIA NO MÉIER

em 10 janeiro 2020

O ano começou bem tenso... cheguei a fazer alguns stories mostrando a cachorrinha do papai, que precisou passar ficar internada em observação. E graças a Deus passa bem (na medida do possível)!
Eu já falei aqui no blog sobre um veterinário da região do Méier que resolve tudo! E não poderia deixar de falar sobre uma emergência que conheci na virada desse ano. Ela fica do outro lado do Méier (o lado "principal", do comércio, do Imperator). Mas é super pertinho, na rua lateral do Shopping do Méier.
A imagem pode conter: atividades ao ar livre
Quando a Gaya caiu parecendo estar sem forças, eu logo busquei no google uma clínica veterinária 24 horas, e apareceu ela de cara! 
A clínica é uma graça, tudo novinho (inaugurou no fim do ano passado), e a médica que estava de plantão - Dra. Ana Beatriz Valentim - foi extremamente atenciosa, em tudo!
Nós chegamos lá por volta da hora do almoço, no dia 05/01 (domingo). A noite, fomos visitar Gaya, pra que ela não se sentisse "abandonada", né? Tadinha, ela já é sofrida pelo dono ter deixado ela de lado na casa dos meus pais. Imagina agora, doentinha, pensar que não queríamos mais ela??? Ohwn... dá um aperto no coração só de pensar. Tenho muita pena dela, muita mesmo. Ela é tão dócil, tão agradecida, tão carinhosa... fala com os olhos! E é a "netinha" que os meus pais não tiveram - já que são 6 netos na família! rsrs.
Bem, claro que sobra pra mim, porque papai não aguenta passear com ela sozinho, dar banho... mas alimentar é com ele mesmo (e com a mamãe). Gaya come o dia todo, e papai dá de colher!!! kkkkkkk Café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, janta e ceia. G-ZUIS, não adianta dizer pra dar a ração uma vez ao dia, para ela se acostumar com um horário, um tipo de alimentação. Ela come o que eles comem: pão, queijo, leite, frutas, arroz, feijão, carnes, biscoitos, bolos... o que eles forem comer, ela vai comer também!
Não posso nem falar muito, porque eu sou assim também. Não da forma exagerada como eles (mas acredito que aos 80 anos vou estar igualzinha... he he he). Porque desde sempre, me olhou com olhar de cachorro (que todo cachorro tem! rsrs), eu dou um pedaço do que estiver comendo!!! rsrsrsrs

Enfim, a veterinária disse que a noite poderíamos levar alguma coisinha que ela estivesse acostumada a comer. E meus pais queriam levar banana e biscoito maizena! kkkk Quando chegamos lá, o pessoal da clínica ria à-beça com a história do biscoito. E pra piorar, quando a médica já espantada, meio que perguntou só pra confirmar se tinha ouvido corretamente: "A senhora dá pra ela biscoito maizena???" Mamãe ainda respondeu, toda orgulhosa e sorridente: "Dou sim doutora, mas ela prefere mesmo é recheado." #morri 

Nossa visita foi alegria total (mostrei lá no instagram). Gaya já estava andando sozinha, ainda com soro e medicamento venoso. E não saía de perto do papai. E ele dela. Perguntaou na recepção se não tinha cama pra ele ficar ao lado dela... Oi???? kkkkkkk Tadinho. Ela realmente se tornou a companhia diária dele E ele, a dela! #AmorMaior

Gaya passou a noite bem, e recebeu alta na tarde seguinte. Se alimentou normal, saiu andando bem... a médica aumentou o tempo de uso do anti-inflamatório que já estava usando, e também do antibiótico, pois o tumor está ficando mais agressivo. Papai saiu da clínica todo feliz com sua cãopanheira! E eu só queria contar aqui pra vocês (em especial quem mora na região da zona norte aqui do Rio), que a nova clínica veterinária tem emergência 24 horas, com atendimento carinhoso e super especial:
A imagem pode conter: texto

MEU PRIMEIRO TOYART

em 09 janeiro 2020

Toyarts são brinquedos para não brincar! rsrsrs São aquelas artes de brinquedo, normalmente usados para decorar ou para colecionar. Por definição Toy Art é manifestação contemporânea que se apropria do brinquedo para mesclar design, moda, arte e urbanidade.

Por isso, eles são produzidos normalmente por artistas (e não empresas de brinquedos), em tiragens limitadas, muitas vezes até únicos!  Quando tem alguma parte articulada, é apenas para mudar a posição, não para brincar com eles!

Em dezembro nós viajamos para Curitiba, para assistir aos jogos do nosso atleta mais novo, que foi com o time Fluminense. Ele tinha que ficar na concentração, então, nos momentos que não podíamos estar com ele, aproveitamos para passear com o mais velho pela cidade, já que ficamos a semana toda (tempo de duração do campeonato da Copa Brasil de Basquete).

E em um dos nossos passeios, fomos na feirinha da Praça Osório, que estava cheia de coisinhas para o natal. E eu me encantei com as peças da artista plástica Pérola Rossa:
A minha cara: coloridos e esquisitamente fofos! Eu me apaixonei logo! Muitas pessoas acham feios, mas eu acho uma gracinha. Diferentes, alegres e mega criativos! Quase comprei um Papai Noel, mas quando bati o olho no fantasma/caveira, pensei: "É esse"! 
Ha ha ha E ele ainda tem versão de mudança de humor (que pode seguir o dono). No meu caso, ele vai sempre ficar sorrindo e feliz! Acho que não vou virar a carinha de triste nunca! Mas é só virar o boneco, que ele tem seu humor alterado:
Ohwn... diz pra mim: não é fofo???
Se quiserem conhecer um pouco mais do trabalho da artista: @perolarossa
Super beijo,


Topo