AS POLÊMICAS SOBRE O GLÚTEN

em 25 maio 2017

Oi gente linda :)


Hoje recebi por e-mail um release muito interessante, que resolvi compartilhar com vocês, porque acho completamente INSANO das pessoas deixarem de comer alguma coisa porque está na "moda". De repente, o mundo se tornou alérgico a N coisas e as dietas para emagrecimento viraram "zero ou free alguma coisa"!!! Porran,  e enchem o saco da gente pra substituir alimentos também, em prol da saúde, e na maioria dos casos, mal sabem o quanto fazem mal à sua própria saúde se restringir de algo!  Pois é... mas sabe aquilo: tá todo mundo fazendo, então é bom e tá certo????? Exatamente isso! Veja bem, não estou falando de quem tem REALMENTE alergia a alguma coisa, estou me referindo a quem entra na onda por modismo.


Eu parto do princípio que tudo em excesso faz mal, e a escassez idem!!! Nosso organismo precisa de muitas coisas para ser saudável e mantermos um peso adequado. Mas a busca por corpos perfeitos por fora, muitas vezes deixa um corpo não saudável por dentro, e as pessoas acham o máximo isso!!!


Mas vamos aos fatos, com a informação de um especialista, lógico:


De acordo com Marcela Tardioli, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI), “restringir o glúten deve estar relacionado ao controle de alguma doença ou condição adversa ao consumo e deve adotar esta prática somente quem possui diagnóstico e recomendação médica, para que não haja nenhuma deficiência nutricional”, alerta.


Muito se ouve falar sobre glúten (as pessoas falam como se fosse a pior coisa do universo), doença celíaca e dietas radicais que excluem o consumoMas, diferentemente do movimento gluten-free propagado de maneira irresponsável por alguns influenciadores de opinião, a alimentação isenta da proteína não deve estar atrelada ao controle de peso ou ser vista como prática saudável para este fim.


Para ajudar a esclarecer sobre os riscos que envolvem o modismo, a especialista elencou os principais mitos e verdades sobre o tema. Confira:


Retirar o glúten da dieta emagrece.


MITO. O glúten, de forma geral, é uma proteína encontrada nos grãos de trigo, centeio, cevada e malte e consequentemente nas preparações que contém estes ingredientes. Está associado a alimentos fonte de carboidrato, que contêm vitamina B e açúcar. Na realidade, reduzir e equilibrar a ingestão destes produtos faz com que aconteça a diminuição e o controle do peso por não haver exagero no consumo de forma geral, e não pela ausência do glúten.


É indicada a retirada do glúten da dieta em caso de doença celíaca.


VERDADE. A restrição deve ser feita após um diagnóstico médico da doença celíaca e sinais clínicos (diagnosticados) de sensibilidade ao glúten. No caso da alergia ao trigo, sua ingestão ou preparações que o contenha deve cessar. Tirar o glúten do dia a dia de forma indiscriminada ou que não seja pelos motivos citados acima, não tem respaldo da ciência.


Há relação de rotavírus com doença celíaca.


VERDADE. Estudos recentes apontaram que, principalmente em crianças, infecções frequentes e repetitivas com rotavírus podem aumentar o risco de desenvolvimento da doença celíaca em pessoas com predisposição genética. Uma das hipóteses para esta relação é que as infecções afetam a mucosa do intestino, deixando-as mais suscetíveis à doença.


Doença celíaca tem cura.


MITO. A enfermidade não tem cura, mas com a exclusão do nutriente da alimentação os sintomas já começam a desaparecer. Ou seja, é uma condição controlável, mas que deve receber atenção para o resto da vida.


Cientistas australianos e americanos realizaram alguns testes para a criação de uma vacina para doença celíaca, que visa reduzir a sensibilidade dos pacientes ao glúten. A primeira fase de testes mostrou eficácia, porém ainda existe um longo caminho a ser percorrido até que seja de fato aprovada.


Por fim, Marcela ressalta que uma alimentação saudável deve incluir todos os grupos de alimentos, como cereais, frutas, verduras, legumes, entre outros. “Além disso, entender as diferenças entre a doença celíaca, sensibilidade ao glúten e alergia ao trigo pode ajudar a identificar alguns sintomas que devem ser relatados a um profissional da área de saúde, para correto diagnóstico e tratamento”.


Quando eu era adolescente, se alguém dissesse que comia mais que 2 ovos por semana, estaria na lista das pessoas agressivas e malucas (sim, diziam que ovo demais enlouquecia). E a banha do porco, que era boa, aí de repente ficou ruim, e voltou a ser boa??? Manteiga ou margarina? Leite integral ou desnatado? Enfim, eu acho que tudo na vida é sempre uma questão de bom senso, incluindo a alimentação! Excessos e faltas são sempre prejudiciais. E qualquer doença ou síndrome deve ser investigada, e não apenas uma "suposição" do paciente, que quer copiar a dieta do outro, porque aparentemente tem os mesmo "sintomas". Ou pior ainda, porque virou moda!!!


E vocês, o que acham desses modismos na alimentação?


Bjks!


alimentos-sem-gluten_8687_m[1]

8 comentários:

  1. Silvania Tiara28/05/2017 13:12

    Boa tarde!

    Parabéns por este espaço que tanto amo, sempre volto aqui para ler e ler. Obrigada!

    Bjos,
    Silvania Tiara
    Colaboradora do portal http://dolar.eco.br/

    ResponderExcluir
  2. Menina, que post esclarecedor. Tirou várias dúvidas minhas. Super bem escrito.


    http://Viva Essa Moda/

    ResponderExcluir
  3. Achei bem bacana o texto, e quis compartilhar e escrever sobre também! Que bom que ajudou a esclarecer alguma coisa Débora! Super beijo

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Silvania. Super beijo

    ResponderExcluir
  5. Deise Sedano30/05/2017 12:16

    Infelizmente, quem é autoridade no assunto, os nutricionistas graduados e especialistas no assunto e principalmente na fisiologia do sistema gastrintestinal, pouco são ouvidos quando se trata de desmentir esses modismos. Algo que muito me entristece na Blogosfera é justamente tantas blogueiras quererem se apropriar da ciência da nutrição, sem o devido conhecimento. Eu atendo diariamente pacientes querendo exatamente a dieta que a blogueira postou, querendo cortar glúten e lactose da alimentação pq viu uma blogueira famosa postando que cortou e fez bem, enfim, é desanimador pra mim que sou nutricionista e especialista no assunto, brigar com todas essas informações incorretas que são divulgadas diariamente é um martírio diário pra minha profissão.

    ResponderExcluir
  6. Eu imagino Deise... deve ser muito difícil mesmo. :(
    Super beijo

    ResponderExcluir
  7. Que post lamentável...jura que sua referência é justamente a nutricionista da ABIMAPI? Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados...isso não te faz pensar? Só rindo!
    Busque informações através de profissionais sérios e atualizados. Exclusão do glúten nunca foi modismo e ele não é nem de longe um "nutriente"...Sem mais!

    ResponderExcluir
  8. Olá Carla, que comentário lamentável também. Significa que só leu o que 'julgou' correto, ao invés de ler tudo o que escrevi. Muitas coisas me fazem pensar, inclusive comentários como o seu. Mas, diferente de você, eu não rio julgando o que escrevem, apenas penso mesmo. E foi pensando, que ao invés de rir da nutricionista do release enviado para meu e-mail (que é "justamente" da ABIMAPI), busquei algumas outras informações. E nesse post falei exatamente sobre "modismo", e inclusive ressalto a importância de avaliação nutricional e médica no caso de exclusão não apenas de glúten, mas de qualquer outra coisa. Aliás, por trabalhar muitos anos na área médica, já acompanhei de perto casos de algumas alergias bem raras, e até de autismo por causa da alimentação. O que me refiro no post são justamente as pessoas que dissipam a informação como "moda" ou como algo que todo mundo apresente. Acho que deveria se informar melhor na área médica também, pois NÃO EXISTE INTOLERÂNCIA AO GLÚTEN, E SIM SENSIBILIDADE AO GLÚTEN!!! E CORTAR O GLÚTEN PODE DIFICULTAR O DIAGNÓSTICO DA DOENÇA CELÍACA. Grande beijo

    ResponderExcluir

Ficarei muito feliz ao ler seu comentário. Mesmo que seja uma crítica, feita com educação, é bem-vinda para que o conteúdo do blog possa sempre melhorar!



Topo