♥ DIAS DIFÍCEIS ♥

em 15 março 2011

"Sei que estou triste hoje, mas nem é de hoje...
 São problemas que se acumulam, coisas que acontecem (ou não acontecem) que me deixam triste, preocupada, incerta..." *

Palavras da querida amiga Elaine* (Um pouco de mim), que li hoje pela manhã, antes de sair com o filhote mais velho para um exame radiológico. E eu fiquei pensando o quanto as vezes eu me sinto também assim...
Os últimos dias tem sido ruins por diversas preocupações familiares. Mamãe está com a saúde abalada novamente (e os nervos à flor da pele!), descobri um problema no coraçãozinho (ainda a ser investigado) no filhote mais novo, quando fazíamos um pré-operatório para cortar a língua e aproveitar e fazer fimose... Filhote mais velho que provavelmente tb terá que passar por cirurgia dentária, porque um dentinho de leite que já deveria ter caído, simplesmente não quer cair... e o outro está nascendo junto... Enfim, problemas que nos afetam diretamente, além das crises de tpm e nosso lado "feminino"... as vezes já tão problemáticos!!! rs
Tem dias que a gente QUER colo, pra chorar, pra conversar... ou pra fazer apenas cafuné, nem precisa falar nada. Tem dias que a gente quer silêncio, outros que a gente quer apenas uma palavra amiga... Alguém para nos fazer sorrir ou apenas falar besteira, sei lá... E aí apertamos nosso "botãozinho-anti-qualquer-coisa" e seguramos essas e todas as "barras" que vierem!!!
E hoje o dia foi muuuuuuuuuuuuuuito pior, porque pela primeira vez eu fui agredida!
É... existem "agressões" verbais, psicológicas e emocionais que machucam muito, as vezes mais que um tapa... mas hoje, eu preferia um tapa, de mão bem aberta... porque a mão que me agrediu, veio fechada!!! Sim, está doendo... o olho, a maçã do rosto onde eu levei o soco... eu fiquei tonta, caí na hora... e sinto a cabeça e a face latejando ainda...
Era cerca de 10:30 da manhã, eu voltava da clínica de rx com filhote. Eu moro do lado residencial do Méier e aqui muitas ruas são tão calmas, tão calmas, tão calmas... que se tornaram suscetíveis à assalto, precisando de segurança particular (que não servem muito quando a gente precisa!!!)
Enfim, há poucos metros do 3º BPM e 23ª DP, entrei na rua, com um segurança sentado bem na esquina. E estava com minha bolsa a tiracolo e algumas sacolas de compras na mão.
Em direção contrária, vinha caminhando um jovem, uns 20 anos no máximo, magro, malhado, vestido normal, boné... parecia saindo da academia.... bonitinho, lembrou meu filhote de coração, o Bibico... e ao passar por nós, simplesmente me agarrou pelo braço e disse: "passa a bolsa"!
Meu filho se assustou, assim como eu... que tomei um baita susto quando ele veio para cima de mim, e na minha "santa ingenuidade" achei que o rapazinho estava caindo... E perguntei novamente: "O que vc falou?"
Aí então, ele segurou minha bolsa, fechou a mão e me deu um soco, daqueles de virar o rosto...
"Vi estrelas", literalmente, na tonteira... caí no chão... e apenas olhei meu filho... Fiquei com medo de gritar na hora e ele agredir filhote, ou pior, de estar armado e atirar... então, vi um senhor abrindo o portão da casa em frente, e falei: "Filho, entra na casa do vovô" e o senhor de cabeça branca, que assistiu a cena, o acolheu... Daí, eu levantei e gritei muito, para que o segurança conseguisse segurá-lo na esquina da rua... Gritei tanto, tanto, tanto...
Mas ele "não teve reação" na hora... Hã???? Sim, o "segurança" ficou sem reação!!! Aff!!!
E o rapaz correu virando a esquina e fugiu... Aí é que o segurança foi atrás... sem êxito!
A essa altura, a rua encheu... e o ladrão que passava correndo, fez alarde, claro!!!
Bem, na correria, deixou cair TUDO que havia de valor dentro da bolsa  pela rua... e um outro rapaz catou e me devolveu. Minha bolsa não tinha fecho eclair, tinha apenas um botão, ou seja, era "aberta". E caiu minha carteira, meu celular, meu porta documentos... A única coisa que me daria trabalho era a identidade, que eu apresentei à recepcionista da clínica onde havia levado o filhote e guardei dentro da agenda depois. De resto, havia dentro da bolsa:
um guarda chuva rosa de rendinha (acho que o cara não vai gostar);
uma agenda florida (tb acho que não vai interessar, e onde coloquei a identidade);
meu porta moedas rosa (com pouco mais de 2 reais);
e maquiagem...
Fiquei atordoada com o soco... noooooossa, a dor foi da face até a cabeça... uma sensação muito ruim... que me faz chorar até agora (e ainda colocando "gelo" no rosto) não apenas pela dor física... mas pela sensação de "fraqueza" mesmo... que também dói... dói muito!
Claro que o melhor é não regir a um assalto, e eu não reagi! Mas fui agredida mesmo assim...
Como um homem se torna um animal assim?
Como consegue agredir uma mulher e deitar a cabeça no travesseiro sem sentir remorso?
Na minha garganta dá um nó, cada vez que lembro o soco e eu caindo no chão... meu filho só chorava.
Depois que chegamos em casa, ele me olhava e seus olhinhos se enchiam de água novamente, eu chorei muito, mas "liguei o botão" e tentei "disfarçar" a dor, o medo, o susto... Dizia: "não fica assim não, filho, não está mais doendo, já passou..." Ele me fez carinho, me abraçou mil vezes, pediu para que eu ficasse na escola com ele e que não andasse mais sozinha na rua... é triste! Imaginem crianças que crescem vendo isso dentro da própria casa? Noooooossa, vem o nó de novo só de pensar!!!
Na porta da escola, filhote fica na fila, e fica envergonhado quando eu grito seu nome, aceno, jogo beijo e faço assim:
Ele "balança" e abaixa a cabeça, as vezes leio em seus lábios um "pára, mãe"... rsrs
Mas hoje, depois de me ver sendo agredida e levada a nocaute, acho que ficou aquele "medo" de perder, de acontecer o pior... todo mundo sente isso!
Ele toda hora saía da fila pra me dar um beijo, dizer "te amo", me fez o "coraçãozinho", jogou beijo e me deu tchau até não me ver mais... rsrsrs AMEI!
FILHOS... são a melhor coisa  do mundo!!! E chamego, a segunda melhor =)
Depois, uma senhora ligou pra casa dos meus pais, dizendo que minha bolsa foi largada na rua, aqui pertinho... agenda, identidade... papai foi buscar.
Só levou meu porta moedas rosa e meu guarda chuva rosa com rendinha, lindo, que deve ter caído por aí... =( Mas tudo isso, dá pra comprar de novo!
A vida é que não tem preço, e vale muito mais, com certeza!

5 comentários:

  1. Simone,
    Vi em meu painel o começo de seu post e pensei: epa, essas são minhas palavras... vim ler.
    E chorei de soluçar com você.
    Querida, sinto muito. Sinto pela sua dor, sinto pela frieza desse rapaz, sinto pelo seu filho. Que Deus nõ permita ele se achar culpado e querer ficar grande logo pra te proteger... que Deus não o deixe perder a infância por ver algo assim... Se puder diz a ele que ele não tem culpa, que o bandido é o culpado. Seu filho está com medo de perder você. Vê-la fragilizada é doloroso para ele, né?

    Lamento tanto sua sombrinha rosa...suas moedas... sua face. Seu coração ferido...
    Fica com Deus, tá?
    Se precisar juntamos nossas lágrimas pra arrancar delas sorrisos...
    Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Si, minha lindona (de cara amassada), estou lendo a historia no carro, indo pra Escola ads criancas, e sou eu agora que finjo nao ter lagrimas. E com tanto egoismo que me sinto aliviada de nao morar no Brasil. Sei que nao devia sentir isso.
    Tb ja fui assaltada no Rio, nunca apanhei, mas tb ja vi mulher apanhando na rua...
    Seu filho presenciando toad essa violencia! Agora vivenciando toad essa M. que ve na TV... Acho que vc estaria ate se sentindo melhor se estivesse sozinha... Ne?
    Dificil, alem ads lagrimas, ter algo mais pra te dizer...EU SINTO MUITO...
    Bjs...

    ResponderExcluir
  3. Oi Simone, já acompanho seu blogue já algum tempo, porém quase não tenho tempo pra comentar, então hoje eu vio titulo do post e vim ler o que aconteceu.
    Ai menina que dor no coração de ler teu post, só de imaginar o que vc passou me emocionei contigo, e oro a Deus para que a lembrança daquela cena saia logo da mente do seu filhote.
    E acontecer essas coisas assim do nada, e o cara nem ficou com nada seu "graças a Deus" , e eu me pergunto pra quê isso?
    Só Deus pra nos guardar nos dias de hj.

    Tenho uma cunhada que mora no Japão, ela prefere morar lá, com tudo o que tem acontecido a voltar ao Brasil, por medo da violência daqui.E o pior é que ela tem razão, lá por mais que tenha terremoto, tsunami e radiação, ainda tem lugares muito mais seguros do que aqui.

    Deus te abençoe querida, que essa lembrança ruim seja apagada da sua memória, e a dor seja esquecida.

    sinto muito por tudo isso viu!

    QUe seu dia hoje seja melhor e que a nuvem negra vá embora e um lindo dia de sol brilhe na sua vida.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Irma do coração16/03/2011 13:33

    Boa tade! ,Primeira vez aqui comentando,porem ja vim aqui outras vezes.... tristes sua historia!! o RJ ta um terror! conheço o méier,morei anos,perto no Engenho novo,rua souza barros...
    q Deuse proteja,forçafé saúde e paz a vc e familia!
    seu maridoja sabe??

    ResponderExcluir
  5. Puxa amigas, nem sei o que dizer para agradecer as palavras...
    Faz uma diferença tão grande nessas horas, né?
    Estou tentando fazê-lo esquecer... mas o medo, a sensação de "não poder fazer nada" é horrorosa!
    Para crianças então... noooooooooossa!
    Fé em Deus! Obrigada à todas! Bjs

    ResponderExcluir

Ficarei muito feliz ao ler seu comentário. Mesmo que seja uma crítica, feita com educação, é bem-vinda para que o conteúdo do blog possa sempre melhorar!



Topo