MEU PAI

Ontem a noite eu assisti pela primeira vez o filme MEU PAI, indicado para o Oscar, e com uma interpretação divina do meu querido Hanibal. Impressionante como ele fez as caras do meu próprio pai em vários momentos! 

É um filme lindamente confuso, e acredito que pra quem tem um parente passando pelos momentos de demência e de declínio devido a idade, é ainda mais agonizante. Porque diariamente, a gente consegue ver a mente de um idoso acometido pela demência simplesmente se esvaindo. E a gente não tem o que fazer para mudar as coisas. 

A gente percebe - claramente - o quão confusas estão as ideias. E o quanto eles tentam, mas simplesmente não conseguem arrumar os pensamentos, seguir uma lógica, ou algo assim... e junto com o idoso, a gente vai se sentindo incapaz. Incapaz de mudar aquilo que não sabemos nem ao certo compreender. É difícil, muito difícil mesmo. Nesse 1 ano de pandemia, meu pai teve um declínio absurdo, foi como um skate em ladeira, literalmente!

No início parecia ser só esquecimento, confusão... depois parecia que estava de sacanagem, testando a nossa paciência (assim como as crianças fazem). E aí eu comecei  a perceber que as tarefas mais simples, ele já não conseguia mais fazer sozinho (apesar de não pedir ajuda). Precisa de ajuda. Precisa de paciência. Precisa de amor. E isso eu posso dizer: tenho de sobra para dar! Aliás, para devolver!

Papai sempre foi alvo de brincadeiras do tipo: 

"tem lugar garantido no céu, porque é um santo!" 

"tem boca e não fala!"

"Jó aprendeu a ter paciência com ele!"

E sim, ele sempre foi alguém muito calmo, tranquilo, sereno... o que tornou talvez a percepção das coisas por parte da família, um tanto quanto tardia. 

Em pouco tempo, vieram os delírios exagerados, a certeza de que estão de olho no que é dele, a mania de perseguição... surgiram as alucinações em imagens e até sons. As conversas imaginárias, as presenças "espirituais" que só ele vê.

Sabe, eu nunca imaginei meu pai assim.... mas sempre tive a certeza de que, seja lá como fosse, ele teria o meu amor! E sim, ele o tem! 

Ele pode não lembrar do meu nome as vezes, ele pode não lembrar quem sou eu... que eu continuarei cuidando dele e repetindo o quanto eu o amo! Em demasia, pra sempre! 

Como ele mesmo sempre me disse: eu sou o carrapatinho dele!



4 comentários:

  1. Ana Maminhaqui01/05/2021 22:55

    Que lindo,me fez chorar,passei por todas essas fases com a minha vó/mãe. Mas ela foi morar com Deus dia 25/02/21. Quantas saudades eu sinto😭. Como amei e amo minha véinha. Mesmo com a demência,nos poucos momentos de lucidez ela me dizia " aninha,vc é forte e corajosa" e com base nessa frase,sigo forte mesmo com tanta dor no meu coração de tanta saudades dela. 😭❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Aninha.... os momentos de lucidez fazem tudo valer a pena, né? Só a gente sabe o quanto eles falam com os olhos. Não precisam de palavras para demonstrar que são gratos (embora muitas vezes reclamem! rs). É cansativo a rotina e o dia a dia com eles, mas muito, muito gratificante! ♥ Sinto muito pela sua vózinha, mas com certeza levou o seu amor com ela. Super beijo e que Deus te abençoe.

      Excluir
  2. Chorando aqui...Ainda tenho meu paizinho comigo e amo incondicionalmente e admiro seu carinho e todo amor dedicado a quem deixou de dormir para cuidar de nós ❤️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. AH Deise, isso aí. ELes fazem por nós, e um dia a gente poder retribuir é muito gratificante também! ♥ Que nossos paizinhos tenham ainda muitos anos de vida para nos encher ainda de amor! Porque o amor faz tudo valer a pena! SUper beijo e muita saúde.

      Excluir

Ficarei muito feliz ao ler seu comentário. Mesmo que seja uma crítica, feita com educação, é bem-vinda para que o conteúdo do blog possa sempre melhorar!

QUER SE DESTACAR NO INSTAGRAM?
E-BOOK

Atualizações do Instagram

Subir